POLÍTICOS PERDEM O SONO EM BRASÍLIA

A classe política está em baixa. Apesar de alegarem que denúncia não é condenação, deputados e senadores sob suspeição contribuem para que a população desacredite na palavra deles e conclui que a grande maioria dos citados na lista de Janot meteu a mão no dinheiro, causando prejuízos incalculáveis ao país, e, conseqüentemente, à população. A situação econômica e social experimentada, hoje, no Brasil deve-se, em grande parte à corrupção promovida por empresários e parlamentares que passaram ou ainda estão no Congresso Nacional.

O senador e ex-ministro de Minas e Energia, Edson Lobão seguiu o exemplo de Lula e incluiu os dois filhos em maracutáia. Os dois rebentos de Lobão seriam titulares de contas bancárias bem recheiadas no exterior e estão sob suspeita de que foram beneficiados com dinheiro sujo da corrupção preconizada pelo pai junto à Belo Monte.

Os políticos estão sem sono, tanto os que tiveram seus nomes revelados pela imprensa como os que deverão ser conhecidos a partir desta semana, mesmo que o Supremo Tribunal Federal, através do relator da Lava Jato, continue tentando impedir o vazamento dos nomes daqueles que foram denunciados pelo Ministério Público.
Mas, é bom lembrar que deputados e senadores tentam aprovar projetos espúrios, como o que visa acabar com o chamado “caixa dois” e tipificá-lo a partir de agora como crime, anistiando aqueles que o cometeram no passado. É a maneira que eles vislumbram para salvar da condenação esses sabidos malfeitores que usam o mandato para tirar proveitos pessoais.

A outra proposta em estudo é acabar com as candidaturas nominais e lançá-las em “lista fechada” dando ao eleitorado a obrigatoriedade de votar no partido que terá o direito de “listar” os que deverão ser eleitos e os que servirão de escada para eleger os privilegiados, a exemplo do que ocorre hoje com as coligações partidárias. Mas o objetivo nesse caso é esconder ou não expor políticos que perderam a confiança da população. Eles ficarão ali, escondidinhos, enquanto a campanha se destinará a pedir votos para o partido.

Os políticos manobram para se salvar de qualquer jeito. Os atuais congressistas torcem para não serem julgados e, principalmente condenados, até outubro do próximo ano. Porque como disse o Lobão, semana passada “denúncia não é condenação” e só a denúncia não torna ninguém inelegível. Significa dizer que se os processos não forem julgados, não haverá condenado até outubro e todos eles poderão ser candidatos e até serem eleitos, pois a grande maioria do povo brasileiro não está “nem aí” para quem ultraja ou não o seu voto. É uma questão cultural.

DESCUMPRINDO A LEI DA TRANSIÇÃO
Inúmeros prefeitos deixaram de cumprir a Lei de Transição que consiste em passar todas as informações referentes à administração, ao sucessor. Por isso o candidato eleito nomeia uma comissão e o prefeito indica um representante legal para prestar as informações e os esclarecimentos solicitados. Em São João Batista o ex-prefeito Júnior de Fabrício desrespeitou a determinação do promotor que, com base em referida lei determinou que a “transição” fosse feita com clareza e transparência.
Embora tenha informado ao promotor que atendeu plenamente a sua determinação, na verdade não o fez. O prefeito João Dominici informou que nem nos poucos computadores da Prefeitura, existiam informações sobre a gestão anterior, fato que dificulta o andamento da atual administração. O representante do Ministério Público solicita a condenação de Júnior de Fabrício, de acordo com o que estabelece a Lei. Cabe recurso.

COMPARANDO BURACOS
O apresentador Luís Datena, do programa “Brasil Urgente” – TV Bandeirante - mostrou as imagens, denunciou e ouviu o prefeito de São Paulo sobre os buracos existentes em ruas e avenidas de São Paulo. O asfalto que deveria ter espessura de cinco centímetros, em algumas vias, foi constatado a colocação de apenas três centímetros. A prefeitura não fiscalizava e as empresas aproveitavam para ganhar mais e “ajudar” algum safado.
O prefeito João Dória prometeu apurar as denúncias e punir os responsáveis. Mas, comparando os buracos mostrados por Datena, eles são insignificantes com relação aos encontrados em bairros inteiros de São Luís. Pelo menos em termos de buracos a nossa cidade é gigantesca perto da capital paulista. Nesse item ganhamos de sobeja.

MAIS BURACOS
A rodovia MA-014 que interliga os municípios da região da Baixada, mais uma vez, precisa da assistência da SINFRA: o trecho mais danificado com as fortes chuvas que caem sobre o Maranhão é o que liga Vitória do Mearim a Viana. Aliás, é bom lembrar que toda a extensão da estrada precisa da atenção do governo, mas, esse é o que se encontra em piores condições.

DEFENDENDO O FEITOR
O presidente do Sindicato dos Professores da rede estadual de ensino, Júlio Pinheiro, que também é vice-prefeito de São Luís pelo PCdoB saiu em defesa do Governo do Estado, acusado de ter enviado à Assembléia Legislativa, já aprovada, uma Medida Provisória que tira direitos dos professores. Júlio mostrou ponto a ponto os benefícios que a matéria produz à categoria dos professores e contestou argumentos do seu opositor, no sindicato. O presidente do sindicato afirma que com a “MP foi concluída uma etapa importante da campanha salarial”. Os professores aposentados querem saber se o aumento de 8% concedido ao pessoal da ativa os atinge. Não há informações.           

Nenhum comentário

Por favor, peço que não usem palavras chulas ou que denigram pessoas em seu(s) comentário(s). Agradeço sua compreensão.