Notícias

HIPOCRISIA MÚTUA
Os candidatos a presidente da República que disputam o segundo turno das eleições deste ano, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) pregam nas suas peças publicitárias agressões mútuas e depois se apresentam com cara de bons moços pregando a paz e o debate respeitoso, mostrando assim o grau de hipocrisia característica de suas personalidades. Até nisso os políticos desmerecem a confiança do povo brasileiro, que agora sem opções tem que votar em um dos dois ou apelar para o voto branco ou nulo, que não ajuda a democracia que queremos fortalecer.
Mas não há outro jeito: um dos dois será eleito no dia 28 próximo e seja o que Deus quiser. Os defeitos de cada um deles estão vindos à tona através das redes sociais. As mentiras publicadas, sob a orientação dos seus marqueteiros e com o conhecimento e incentivo deles, são incutidas nas mentes da população e provocam acirramento da disputa e a consequente violência entre os eleitores mais apaixonados.
O momento exige calma, avaliação isenta das poucas propostas apresentadas nos programas eleitorais e nas entrevistas concedidas à imprensa nacional e internacional. Mas os políticos oportunistas que se encostam a qualquer governo para não ficar na oposição querem descobrir e logo acenar para aquele que tem mais possibilidade de ser o futuro presidente. Está difícil ter certeza no momento apesar do capitão ser considerado favorito, segundo as pesquisas.
E olhem que se trata de um favoritismo difícil de ser revertido porque são aqueles que ganham melhores salários (acima de R$ 5 mil) e os mais preparados intelectualmente que fazem a diferença em prol de Bolsonaro. Conferidos os votos dos eleitores que tem nível superior, aponta às pesquisas, a diferença sobe para 68% em prol do “Jairzinho paz e amor”.
Outros fatos a se destacar foram às derrotas de grandes defensores de Lula e Dilma no pleito de outubro: senador Lindbergh Farias (PT-RJ) deputado Chico Alencar (PSOL- (RJ), senador Jorge Viana (ACRE), senadora Grazziotin (PCdoB-Amazonas) dentre outras.
Já em Alagoas o povo não deu importância às denúncias de corrupção que pesam sobre o senador Renan Calheiros e o reelegeu por mais oito anos e, por cima, reconduziu o filho dele (Renan Filho) ao cargo de governador. Coisas que só a cultura de cada povo poderia explicar.   
Sim, mas o “general” Lula, apesar de condenado e preso por práticas de falcatruas durante o período de mando do PT no Brasil, continua prestigiado pela massa que ocupa os estados nordestinos e alguns de outras regiões do país, o que constata ou nos leva a entender que a corrupção não chega a ser o vetor principal da desmoralização da classe política. Todos admitem que “Lula roubou, mas, fez coisas boas para o povão” e que por isso o conquistou. Maluf, na sua época, também foi considerado ladrão bonzinho, e só agora “velhinho” foi punido pela Justiça que age sob a égide de uma legislação fraca e frouxa.
E assim a vida segue, sem grandes esperanças de termos, no futuro, um país mais justo e solidário, sem discriminação, privilégios e com JUSTIÇA SOCIAL PARA TODOS, como a maioria deseja.
NO MARANHÃO ocorreram episódios pontuais que não excluem crimes eleitorais, como “boca de urna” e até cabos eleitorais votando no lugar de eleitores não confiáveis. Alguns chegaram a ser presos, mas, depois de pagarem a fiança foram postos em liberdade. VERGONHA!
A famigerada compra de votos, transportes de eleitores irregulares foram ocorrências registradas normalmente no interior. Mas os autores ou mandantes, investidos de autoridade, por certo não foram incomodados lá no palco das ocorrências.
São óbvios que esses acontecimentos lamentáveis ocorreram, também, nos mais longínquos municípios brasileiros. Sobra, portanto, aos mais equilibrados, a certeza de que, conforme a máxima o “povo sempre terá os representantes que merece”. Não há mudança na política brasileira. A renovação no conjunto da representação política é sempre a mesma: sai o pai, entra o filho(a), o irmão(ã) ou a esposa. Mudam os nomes, mas na maioria dos casos as famílias que permanecem no poder são as mesmas.
EM SÃO LUÍS, a derrota espetacular de Edvaldo Holanda à reeleição de deputado estadual e a grande votação de Eduardo Braide à Câmara Federal é fruto da insatisfação da população local com o prefeito Edvaldo Holanda Junior que abandonou a maioria dos bairros e o centro da cidade, onde as ruas estão abarrotadas de buracos.
EM SÃO JOÃO BATISTA, onde passei o período eleitoral, o grande vencedor das eleições, segundo o vereador Assis Araujo foi o ex-prefeito Eduardo Dominici, considerando-se a soma dos votos que o seu grupo político direcionou aos três candidatos a deputados estaduais e federal apoiados pela família.
Para o cargo de governador a vitória de Flávio Dino esta dada como certa porque todas as lideranças do município, incluindo a família Dominici o apoiaram. Até mesmo sarneysistas de épocas passadas (quando o mar estava para peixe) trocaram de camisa e aderiram ao governador comunista. Agora todo mundo virou comunista!...     

ÚLTIMA INFORMAÇÃO – O deputado reeleito Othelino Neto (PCdoB) quer se reeleger também presidente da Assembléia Legislativa. Segundo observadores ele tem chance de alcançar o objetivo, mas depende do apoio do governador Flávio Dino (PCdoB) e da deputada Cleide Coutinho, viúva do ex-presidente Humberto Coutinho. As articulações estão a pleno vapor apesar da eleição só acontecer dia 1° de fevereiro de 2019.

sábado, 13 de outubro de 2018
É hoje...!

João Batista Azevedo (Interino)


Finalmente chegamos ao dia mais importante para o Brasil nos últimos tempos. O dia da eleição. Eleição para escolha do novo presidente da República. Depois da volta das eleições diretas esta é 8ª eleição. Poucas para a estabilidade da nossa jovem democracia. Lembrando que nesse tempo tivemos duas rupturas que puseram em xeque as bases desse mesmo regime democrático – o impeachement de Fernando Collor e o mais recente, de Dilma Rousseff. Seguramente o país é outro. Muita coisa mudou. E muita coisa também não mudou. As cidades cresceram e os problemas aumentaram. Os tempos atuais estão a exigir que os nossos governantes tenham sobretudo o discernimento de governar para todos, respeitando as inúmeras minorias que se formam num país tão desigual quanto o Brasil. Essas minorias que se fazem presentes no debate nacional não são obra de nenhum partido político, antes seja de todos os governos pós período militar que passaram a respeitar e a garantir a partir da Constituição o direito de todas as minorias. Continuar a respeitar estas prerrogativas constitucionais é premissa por demais importante, sob pena do país descambar para um confronto.


O país dividido

É inegável o racha no Brasil de hoje. Dos muitos brasis que se tem, resumiu-se para estas eleições em apenas dois: os que defendem Lula, a esquerda, o PT; os que acreditam nas forças progressistas populares contra os que negam o PT, Lula, que são de direita e que não admitem a possiblidade de um novo governo de esquerda. Para estar contra toda a ideologia de esquerda, a direita mais extrema arregimentou forças e num discurso mais virulento possível, buscou na figura de um ex-capitão do Exército o seu candidato. Apesar dos xingamentos que tomou conta das campanhas de um lado e outro o segundo turno está proposto: Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, o que caracteriza ou a chegada da extrema direita ou a volta do PT ao poder. O eleitorado de Bolsonaro e de Haddad é bastante diferente. Enquanto o capitão atinge eleitores com renda familiar mensal acima de cinco salários mínimos, o petista dispara de 10% para 27% entre os que têm renda de até um mínimo. A curva dos dois também se cruza quando se fala em escolaridade. Enquanto Bolsonaro sobe de 29% para 36% entre os mais escolarizados, Haddad pula de 6% para 24% entre os menos escolarizados. Grosso modo, um é preferencialmente candidato dos “ricos com diploma” e o outro, dos “pobres e menos aquinhoados”.


A ser levado em conta (I)

Vivemos uma crise moral na política brasileira, não restam dúvidas. O argumento está colando em parte do eleitorado progressista, machucado e esgotado com uma crise que se arrasta há cinco anos. Cinco anos de crise esgota as energias de qualquer um. Por outro lado, na esteira do colapso social, a extrema direita não será o remédio para a cura de nossos problemas, principalmente se quem encabeça esse lado, traz consigo um discurso de ódio e prega a violência como resposta aos muitos dos males da sociedade. Daí o surgimento do anti-PT, o antipetismo. Mas o que seria mesmo esse antipetismo? Trata-se de um problema com o PT? Algo semelhante a uma antipatia pessoal? É o que parece. Mesmo assim a liderança de Lula, mesmo impedido de concorrer a estas eleições, esteve em evidência como líder das pesquisas. Mesmo assim a esquerda está viva. Não a esquerda socialista-comunista, mas aquela que se aproxima mais dos pobres e mais necessitados, aquela que pensa e desenvolve política de inclusão e respeito para as minorias. Neste campo Haddad e Ciro Gomes são boas opções.


A ser levado em conta (II)

Se é verdade que nem tudo na vida são flores, também podemos dizer que nem tudo são espinhos. Mesmo sendo conservadora, a transição democrática trouxe algo de bom: a mobilização de setores importantes da sociedade brasileira na crítica ao autoritarismo. Foram anos animados, com grandes atos públicos, engajamento de artistas e intelectuais, greves gerais, milhares de pessoas nas ruas. Desse clima, saíram dois partidos políticos que, cada um a seu modo, passaram a representar as demandas da sociedade civil por um país mais justo e democrático: PT e PSDB, que se tornaram os principais ocupantes do campo político progressista. Mas o que é o campo político progressista? São os grupos políticos que partem do princípio de que o Estado deve amparar o sofrimento dos mais vulneráveis, daqueles que no conflito social são mais frágeis, ou sejam, mulheres, negros e negras, comunidade LGBT e, principalmente, pessoas pobres. Do outro lado do campo progressista está o campo do atraso. O objetivo do campo do atraso é direcionar a riqueza social para uma minoria, justamente aqueles que já são mais poderosos: homens, pessoas brancas e, principalmente, ricos. Jair Bolsonaro encarna bem o candidato que muitos temem ser um retrocesso e o atraso.


Em oração...

Que Deus nos ilumine e nos proteja de todo mal seja ele de direita ou de esquerda! Que possamos decidir com clareza o nosso voto e que os eleitos sejam exemplos de homens públicos, espelhos da probidade e da decência. Bom voto a todos!

segunda-feira, 8 de outubro de 2018
O telhado de vidro de Bolsonaro

Por João Batista Azevedo (Interino)
  
E o capitão que se postava de paladino da moral entre os políticos escorregou na baba de sua própria arrogância. É o que trouxe a Revista Veja deste fim de semana. Como já se podia esperar, o deputado Jair Bolsonaro, candidato a presidência da república, não é tão honesto como ele se pintava. Em extensa reportagem, a Revista Veja pilhou o capitão na mentira. A fonte das maracutaias de Bolsonaro estão em um processo de partilha de bens instaurado em 2008, quando da separação deste com a sua esposa à época, a senhora Ana Cristina Siqueira Valle. Segundo a reportagem, Bolsonaro omitiu de sua prestação de contas à justiça eleitoral imóveis cujos valores somados totalizam mais de 2,5 milhões. Essa constatação veio à tona no cruzamento de informações de cartórios do Rio de Janeiro com a declaração de bens do deputado para fins de disputa eleitoral. A própria ex-mulher de Bolsonaro, segundo a Veja, também o acusou, na época da separação, de ameaças de morte, razão pela qual ela teria ido morar na Noruega, como também lhe acusou de ter furtado cerca de 600 mil reais em joias de um cofre que o casal tinha numa casa de guarda de valores. Curioso é que perguntado agora à ex-mulher, que é candidata a Deputada Federal pelo mesmo partido de Bolsonaro, o PSL, com o nome de Cristina Bolsonaro, sobre as denúncias feitas à época, ela respondeu que não se lembra.  E que o marido, apesar de “machão”, é gentil e carinhoso. Ah... conta outra! Vale lembrar que em vídeos que correm nas redes sociais, Bolsonaro diz que é sonegador mesmo!

Debochando da Justiça 
O presidenciável Jair Bolsonaro em entrevista ao apresentador da Bandeirantes, José Luiz Datena, afirmou que não aceitará o resultado das eleições no caso de uma eventual eleição do candidato Fernando Haddad. Afirma que se isso acontecer é porque as urnas eletrônicas foram fraudadas. Com essas declarações, o candidato põe em dúvida o trabalho de toda uma instituição: o TSE, seus ministros, juízes e serventuários da justiça eleitoral de todo o país. Envaidecido pela projeção que teve ao empunhar a bandeira do antiPT, o candidato acha que as manifestações de ruas são um termômetro de que ele já ganhou as eleições, mesmo sem fazer alianças, mesmo atirando contra a própria classe política. Esquece o candidato que o eleitor está em todos os lugares, e não só nas manifestações de ruas, nas passeatas, carreatas, e que nem todos, ou uma grande maioria não manifesta seu voto. Não confiar no processo eleitoral do qual participa, e pelo qual já se elegeu por vários mandatos é no mínimo contraditório e preocupante. A democracia brasileira poderá viver dias de abalo e preocupação. 

A democracia acima de tudo 
A ditadura acabou. O país já vive 33 anos de redemocratização. Mas alguns setores insistem em transformar as eleições de outubro em “um tempo de guerra”. Um “tempo sem sol” que obscurece qualquer chance de bom senso e racionalidade em algumas hordas na campanha. Enquanto um lado convoca sua militância, um outro promete “fuzilar” seus adversários, inconformar-se com o resultado das urnas. E nesse clima, tudo pode acontecer. O risco de que o ódio não se dissipe é enorme. E pode não serenar nem mesmo em um próximo governo, a depender do cenário. Especialmente se o segundo turno vier a ser entre Bolsonaro e Fernando Haddad (PT). O resultado das ações e reações a partir daí podem ser imprevisíveis”. Acima de qualquer disputa, o importante é lembrar que o país não vive um “tempo de guerra”. As eleições são o meio pacífico que a democracia encontrou de resolver as suas questões mais prementes. O debate democrático precisa de luz. Quanto mais, melhor. 

Enquanto isso aqui no Maranhão... 
Eleição ganha só mesmo depois do apurar das urnas. Mas pelo quadro que se desenha nas pesquisas eleitorais de todos os institutos, o governador Flávio Dino (PCdoB) tem expressiva vantagem sobre sua principal adversária, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB), podendo inclusive liquidar a fatura já no primeiro turno, se os demais candidatos Roberto Rocha (PSDB), Maura Jorge (PSL), Ramon Zapata (PSTU) e Ovídio Neto (Psol) não apresentarem crescimento e votação satisfatórias capaz de encolher a diferença de mais de 50% do primeiro colocado. Se por acaso houver um segundo turno, todo o cenário muda. Num primeiro momento, os dois candidatos partem em pé de igualdade, a começar pelo tempo de campanha no rádio e na televisão. Como é uma nova eleição, o voto do eleitor mais uma vez deverá ser conquistado. E eleitor é sempre imprevisível... 

Renovação já! 
Uma forte campanha pela renovação dos quadros da Assembleia Legislativa e da Câmara Federal está em evidência. É oportuna e justa. Para tanto, necessário se faz que o eleitor não “troque seis por meia dúzia”. É preciso conhecer principalmente o caráter de seu candidato, sua trajetória e suas ideias. Os deputados federais, sobretudo, terão papel fundamental nas votações das propostas de reformas que haverão de vir do novo presidente. Eleger alguém que esteja sintonizado com os interesses do povo em detrimento do corporativismo partidário deve ser a lógica do eleitor. E foi por erros cometidos em nome de seus partidos ou de suas bancadas e que contrariaram a vontade do eleitor, que muitos deputados estão a penar nestas eleições. Nunca foi tão difícil uma reeleição. 

São João Batista
O prefeito de São João Batista João Dominici inaugurou, no sábado (29), no povoado Palmeiral, um poço artesiano para atender uma antiga reivindicação da comunidade e adjacentes. O sistema será suficiente para distribuir água para as torneiras de toda a comunidade. Dominici destacou também ações da prefeitura que tem melhorado as condições de vida dos cidadãos. Para a comunidade, a inauguração do poço foi a realização de um sonho.


sábado, 29 de setembro de 2018
Eleições 2018: O efeito Lula

João Batista Azevedo (Interino)


A exatos 15 dias nos separam da eleição mais importante para o país desde o processo da redemocratização do Brasil. Nem a primeira eleição direta após o regime militar, chama tanto a atenção como esta de 2018. Bem verdade que aquela tínhamos as grandes lideranças políticas se confrontando, fato que já não temos para as eleições deste ano. Temos sim, uma eleição que vai se desenhando sob dois prismas:  os eleitores do Lula contra os eleitores anti-Lula. Impedido de ser candidato, por estar cumprindo pena por uma condenação que segundo alguns é questionável, Lula ainda assim se impõe como uma liderança política neste país, gostem ou não. Mesmo apesar da forte oposição midiática, o PT tenta se equilibrar sobre as hostes de simpatizantes que ainda veem no espectro da esquerda os avanços que o país necessita. Tempos difíceis. Mas o que chamou mais a atenção foi – para não fugir à moda do que acontece no mundo europeu – o surgimento de um candidato da ultradireita conservadora em terras tupiniquins. Pois é. E ele existe: Jair Bolsonaro. Com um discurso visceral, colocando-se contra tudo que é dito comportamento moderno e negando a própria política e suas relações, não foi difícil cair no gosto de uma fatia da população eleitora que, com certa razão, anda desesperançosa. Sem propostas concretas, mas com frases decoradas de um efeito bombástico e gestos grotescos, como o de imitar uma metralhadora com as mãos, parece ter sido o combustível de sua ascensão eleitoral. Entretanto, essencialmente, o que se vê é um candidato vazio de ideias, odioso contra as minorias, que ao longo de sua demorada carreira como deputado federal (cerca de 30 anos) não tem nenhum projeto de lei aprovado, nem mesmo na área da segurança, área que ainda estudou ainda que pouco.

Ainda o efeito Lula  

Uma única coisa pode se creditar ao candidato Bolsonaro. Foi ele quem melhor vestiu a camisa do antilulismo. Nem mesmo os adversários costumeiros e idealizadores da derrocada petista, a turma do PSDB e DEM com o apoio de setores do MDB, puderam imaginar que fossem atropelados por um até então desconhecido e solitário deputado do baixo clero. Isto reforça urgentemente um repensar das forças políticas, sejam de esquerda, de centro ou de direita. Uma outra lição a ser também tirada destes tempos é com relação àquilo que alguns setores da imprensa dita como regra: mesmo com toda a campanha contra o ex-presidente Lula, este ainda mostra força ao colocar na disputa o seu preposto candidato Fernando Haddad, que caminha rumo ao segundo turno, com reais possibilidades de ser eleito, seja pelo efeito do ex-presidente, seja porque a maioria dos eleitores veem numa candidatura Bolsonaro uma ameaça real para o Brasil. E viver tempos piores é tudo que não se quer.

De olho neles

Mais de 90% dos congressistas disputam cargos nas eleições de outubro. São 558 deputados e senadores de olho no voto do eleitor: 470 tentam a reeleição e 88 buscam novos cargos. O elevado número dos que tentarão novo mandato no Congresso sugere um baixo índice de renovação. A tendência é reforçada pelo novo modelo de financiamento eleitoral, que favorece quem já está na Câmara ou no Senado a obter recursos mais generosos do novo fundo público eleitoral, aprovado por esses mesmos parlamentares. Portanto, a hora é de ver quem tem mais serviço prestado para merecer o seu voto. Um Parlamento qualificado pode conter as bobagens cometidas por maus governantes. Um Congresso ruim pode inviabilizar o melhor dos governos. É crucial prestar mais atenção nos votos que damos para o Legislativo e no que os eleitos fazem quando chegam lá. Uma boa medida é ver as últimas votações que impactaram a vida dos brasileiros do impeachment pra cá. Veja quem votou contra a sua vontade, eleitor, e quem atendeu aos conchavos partidários. É hora de pôr o pijama em boa parte deles.

O voto pra Senador

Se nos últimos tempos da política maranhense teve uma disputa tão acirrada esta é a eleição para as duas vagas para senador deste ano. Cinco candidatos são cacifados para postularem essas duas vagas, sejam pelos conhecimentos e vivência política, sejam pela garra e determinação que demonstram ter. Os dois grupos que evidenciam a disputa partem para o corpo a corpo na busca de eleger seus candidatos. Correndo por fora, e bem qualificado pela experiência e pelo fato de já ter sido governador, com boa visão sobre o Estado, seus problemas e potencialidades, aparece Zé Reinaldo. Tenho encontrado muitos eleitores que veem nestas eleições a hora e a vez de Zé Reinaldo chegar ao senado.

Bons nome

Um bom parlamento não pode prescindir da experiência de nenhum homem público, mas também não pode se abster da vontade, da coragem e da determinação dos mais novos. Para a câmara federal e legislativo estadual bons nomes integram esta condição. A possibilidade da volta de Gastão Vieira à câmara federal é real e justa. Além de muito serviço prestado ao estado, Gastão Vieira tem um largo conhecimento e muita experiência. Já no legislativo estadual alguém com a experiência de Manoel Ribeiro e a vontade de servir de jovens políticos como Ricardo Diniz e Jota Pinto fazem toda a diferença. A estes desejamos boa sorte.


Ódio e eleição

Nestes tempos de descrença nos políticos, é bem natural que alguns rasguem o título de eleitor, ou que votem como protesto em qualquer maluco que aparece, ou até mesmo votar em figuras travestidas e caractas de político, como o caso do Bode Zé, Macaco Simão, etc. Eleição é o momento mais importante da vida de um país. Não colocar o ódio em seu voto deve ser um primeiro passo para um país melhor. Somos todos responsáveis.

segunda-feira, 24 de setembro de 2018
CANDIDATO DE LULA É O SEGUNDO NA PREFERÊNCIA DO ELEITORADO
Vítima de atentado, o líder das pesquisas, presidenciável Jair Bolsonaro continua internado em hospital de São Paulo convalescendo de uma segunda cirurgia a que foi submetido na última semana passada. O estado de saúde dele é estável, segundo os médicos que o assistem. Enquanto isso, o candidato de Lula (PT) e companhia passou a ocupar o segundo lugar depois da última pesquisa do DataFolha, publicada na última sexta-feira (14), no Jornal Nacional e ontem pela imprensa escrita. O ex-presidente petista, mesmo condenado e preso, não se dar por vencido e aparece na TV fazendo campanha em favor de candidatos do partido.
A legislação brasileira é complacente com os políticos e permite a apresentação de recursos para protelar as decisões finais sobre os denunciados, investigados e processados. No Maranhão temos exemplos como do senador Edson Lobão e seu filho e suplente Edinho Lobão, candidatos à reeleição apesar de responderem na Justiça vários processos. Ambos, acusados da prática de corrupção e de outros crimes, se dizem inocentes, competentes, honestos e com grandes serviços prestados ao Estado. Lideram as pesquisas, donde se conclui que ser corrupto no Brasil deixou de ser crime para ser ato de bravura, nos olhos da maioria.
É crime comprar ou vender votos, mas não há proibição do poder público repassar aos partidos bilhões de reais para custear as despesas de campanhas. Disso o povo sabe e aqueles menos compromissados com a moral, a ética e o exercício da cidadania garantem sem nenhum vexame: “só voto se me ajudarem”, ou seja, “se comprarem meus votos”. E isso vai acontecer e é por isso que dificilmente pobres conseguem se eleger a cargos eletivos no Brasil. E a razão alegada por um contingente significativo de eleitores é que os eleitos só empregam familiares e amigos do peito para os cargos que dispõem. Quem dá razão a quem? Corruptos têm de todo tamanho e em qualquer lugar... Eu, particularmente, vou votar nos menos corruptos e mais competentes. E não está fácil encontrá-los...

SÃO JOÃO BATISTA
A Câmara Municipal, por unanimidade, aprovou a prestação de contas do ex-prefeito Zequinha Soares, referente a 2001. Esse era o último obstáculo que o impediu durante mais de uma década a disputar eleições. Agora com essa decisão do Poder Legislativo Municipal, rejeitando o parecer contrário à aprovação das contas do ex-mandatário municipal, ele está livre para disputar, novamente, o cargo de prefeito do município de São João Batista, em 2020. Várias ações de improbidade administrativa que ele respondeu, foram provocadas por mim, enquanto vereador (2001 / 2004) ao Ministério Público daquela comarca. Não me arrependo porque tentei zelar pela boa aplicação dos recursos públicos do município. Mas, o parabenizo pela vitória consolidada pelos vereadores atuais.

SÃO JOÃO BATISTA II
A prefeitura, sob o comando do engenheiro João Dominici continua com as ações sociais nas comunidades mais carentes (a última, semana passada) foi realizada no povoado Sarnambi. As estradas vicinais, também, merecem atenção especial do prefeito depois do longo e tenebroso período chuvoso que destruiu a maioria delas. A que liga Campinas a Santana com extensão de 16 quilômetros onde foram abertos grandes buracos no asfalto, está sendo recuperada com recursos do próprio município, assim como a que interliga a MA-014 à cidade de São João Batista. O prefeito está trabalhando muito, considerando-se a redução no valor do FPM neste mês de setembro que chega a atingir todos os municípios maranhenses num montante superior a R$ 12 milhões (doze milhões de reais). A informação é da FAMEM.

PERGUNTAR NÃO OFENDE
A posse, na presidência do Supremo Tribunal Federal pra quem? Para o MDB? PT? Para os dois? Ou estão promovendo festas em vão? Ninguém sabe o que passa pela cabeça de um juiz, essa é a certeza nua e crua. Na justiça local existem processos tramitando rapidamente enquanto outros caminham a passos de tartaruga. A máxima do uso de “dois pesos e duas medidas” nos julgamentos na justiça brasileira existe, mas, provar ou pelo menos denunciar essa prática, ninguém se atreve, principalmente os que não dispõem de recursos financeiros para pagar um bom advogado para defendê-lo, em caso de ser processado por crime de injúria e difamação por alguém que poderia colocar a carapuça na cabeça.

ELEIÇÃO À VISTA

Caros leitores. A partir do próximo domingo serei substituído neste espaço pelo amigo e conterrâneo, professor João Batista Azevedo, é que, do dia 20, até depois das eleições estarei em São João Batista, onde cumprirei o dever cívico de votar. Desde já peço a proteção de Deus para escolher os melhores para representar o nosso Maranhão e o Brasil. 

sábado, 15 de setembro de 2018
O ÓDIO PREDOMINA NA POLÍTICA

O ataque que quase ceifou a vida do presidenciável Jair Bolsonaro gerou interpretações as mais diferentes sobre a campanha e os candidatos à Presidência da República, neste momento de absoluta desconfiança do povo brasileiro sobre o comportamento pouco republicano de significativa parcela da classe política, que busca desesperadamente um mandato, para tirar proveitos pessoais quando deveria com o alto salário que recebe se dedicar em representar os interesses da população. Por outro lado a diversidade de idéias e de visão sobre a realidade do país colide com os pensamentos dos eleitores que rogam por honestidade dos seus representantes em todos os poderes da república onde a sujeira penetra nas cabeças de autoridades descompromissadas com o coletivo.
Eleitos ou nomeados ao assumirem os cargos para os quais foram designadas as primeiras iniciativas tomadas visam chamar familiares para assessorá-los esquecendo por completo os compromissos assumidos com a população. Nas casas legislativas, parlamentares sentados em cadeiras confortáveis, engordam bebendo café com leite; nos tribunais os processos “dormem” nas gavetas dos magistrados que não os despacham enquanto nos palácios os encontros políticos e o puxa-saquismo ocupam o tempo dos governantes atrasando a tomada de decisões sobre problemas urgentes que precisam ser deliberados. A burocracia leva a culpa pelo atraso de decisões, enquanto à população, resta esperar, impotente.
As agressões mútuas registradas nos debates entre candidatos, quando se sabe que quase todos eles se nivelam por baixo nas ações de desonestidade, revoltados, os desequilibrados partem para uma violência descabida e criminosa como essa ocorrida contra Bolsonaro que poderá aumentar seus índices nas pesquisas e levá-lo à vitória nas urnas, mas envergonha aos brasileiros pacíficos que amam este país e não querem vê-lo achincalhado internacionalmente. O ódio não pode nem deve se sobrepor à paz e a esperança, a pesar da inconfiabilidade na política que, por atitudes reprováveis de muitos, contaminada fica toda a classe.     

MUITA CALMA
Precisa-se ter muita calma neste momento de turbulência motivado, principalmente, pela campanha política que começa a interessar os eleitores nos debates e avaliações nas esquinas, nas mesas de bares, nas escolas, nos bancos das praças, enfim em todos os lugares que reúnem mais de duas pessoas, a conversa gira em torno das possibilidades de cada candidato se eleger ou não. Lembre-se que até o mês de julho não se ouvia comentários nem se via alguém interessado no assunto que começou a esquentar e chamar a atenção da população, principalmente nestes dias que sucederam o lamentável episódio de agressão que vitimou Bolsonaro em Juiz de Fora – MG.

QUEM GANHA, QUEM PERDE?
No Maranhão as conversas mais freqüentes em todos os ambientes são sobre as possibilidades de vitória de Flávio Dino e/ou Roseana. Resultados de pesquisas destoantes entre um instituto e outro estimulam os debates e as opiniões contraditórias. Os “comunistas” ainda acreditam que Flávio Dino com cerca de 20% de vantagem sobre Roseana vencerá no primeiro turno. Para os aliados da ex-governadora, como Edison Lobão semana passada declarou aos analistas da TV Guará,  haverá segundo turno, sim, e que como “os outros candidatos são mais adversários de Flávio do que de Roseana, deverão migrar para a candidata do MDB e reforçar com muitos votos a eleição dela”, garantindo, na oportunidade, que hoje a diferença segundo a preferência do eleitorado em favor do governador atual, não passa dos 6% e que o mais provável é que até a realização do primeiro turno essa diferença seja reduzida.
As informações contraditórias, prestadas pelos dois grupos contaminam, também, as posições nem sempre racional de parte dos eleitores, muito deles ainda indecisos e incrédulos com relação à política outros, levado pela paixão parte para a briga.

MANOEL RIBEIRO NA LUTA
Desfraldando as bandeiras de político que age com “coragem, lealdade e ficha limpa” o ex-deputado e presidente da Assembléia Legislativa, Manoel Ribeiro volta com tudo para retornar ao parlamento estadual, desta vez pelo PRB. “Manoel Ribeiro é um político simples que não despreza seus amigos. No período que presidiu a Assembléia Legislativa foi bom e preservou a amizade com o funcionalismo, classe que sempre defendeu com muita convicção. Prefeitos e colegas deputados que o procuravam para resolver problemas de interesse público sempre receberam apoio e solidariedade dele que sempre se empenhou para resolver os casos a ele apresentados. Nunca fugiu da luta”, escreveu um leitor da coluna que aqui reproduzo com muita satisfação.

LULA NÃO DESISTE
Enquanto houver condições de recorrer contra a decisão do Superior Tribunal Eleitoral, o ex-presidente Lula continuará pedindo votos para o seu combalido PT e ainda acredita que a candidatura dele a presidente da República será revalidada. A coluna sempre se posicionou, considerando as posições dúbias dos tribunais, que a postulação do ex-presidente poderá culminar com a efetivação dessa candidatura clamada por milhares de brasileiros, especialmente das classes menos favorecidas. O “vai” e “vem” nas decisões dos juízes de tribunais superiores nos dá o direito de admitir isso: tudo pode acontecer neste país onde ser honesto deixou de ser considerada virtude, onde a ética e a moral há muito tempo foram colocados na lixeira e terminaram nos aterros sanitários.

segunda-feira, 10 de setembro de 2018
LULA FORA DA DISPUTA ELEITORAL

O ex-presidente Lula da Silva está fora da disputa eleitoral deste ano por decisão da maioria dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (6 votos a 1). Ele pretendia registrar sua candidatura para o cargo de presidente da República, mas foi barrado por força da Lei da Ficha Limpa. Mais que os trabalhadores que o mantinha, através das pesquisas como favorito absoluto, perde a ‘corriola’ que ficou rica no decorrer das suas duas administrações. Advogados de defesa contestaram a decisão e, se couber, devem recorrer ao STF.   
Muitos presos por ordem da Justiça, alguns já em liberdade, também, por determinação judicial continuam respondendo a processos pela prática de corrupção, desvio de recursos, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito. Com essa decisão do TSE, da última sexta-feira (31), o PT tem 10 (dez) dias para apresentar o substituto de Lula na corrida sucessória do dia 7 de outubro. Fernando Haddad é o nome, já que figura como vice na chapa de Lula.
Dos sete ministros que votaram, apenas Edson Fachin votou a favor do registro da candidatura do petista - que se encontra preso em Curitiba, condenado a mais de 12 anos de cadeia por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá. Ainda existem outros processos contra o ex-presidente a serem julgados.
A maioria do povo brasileiro gosta de “vítimas” e, por isso, o candidato de Lula deve crescer nas pesquisas após essa decisão, e os oportunistas de todos os partidos que já passaram pelas suas “orientações” devem tentar tirar proveitos dessa situação, se apresentando aos eleitores como defensores do ex-presidente. Esses mesmos indivíduos acusam o desgastado e reprovado Temer de ser contra os trabalhadores, mas eles precisam entender que nem tudo que defendem, no afã de agradar os trabalhadores, nem sempre tem o apoio da classe.

CONTAS APROVADAS
O Tribunal de Contas do Estado aprovou, no dia 29 de agosto, a prestação de contas do exercício financeiro de 2009 do ex-prefeito de São João Batista Eduardo Dominici, para desespero dos seus opositores. A Câmara Municipal deverá nos próximos meses discutir, analisar e votar favoravelmente o parecer técnico do TCE. As falhas apresentadas inicialmente pelo TCE foram devidamente corrigidas pelo ex-gestor, que hoje exerce a função de secretário de Articulação Política na Prefeitura, e é considerado como o maior líder popular e político do município.

PROPAGANDA POLÍTICA
Começou na sexta-feira (31) a propaganda eleitoral no rádio e na televisão, o chamado horário político gratuito, que na verdade é pago com o dinheiro público através do Tribunal Superior Eleitoral. É a mesma coisa de sempre: quem fez mostra sua realização, quem ainda não teve oportunidade de governar, promete fazer o que os outros não fizeram e por aí vai... O imprevisível Jair Bolsonaro vem sendo discutido e analisado pela sociedade. Está bem colocado nas pesquisas, mas esse resultado daqui pra frente também é imprevisível.    

SABATINA NA TV GUARÁ
Os candidatos a governador do Maranhão, sabatinados pela equipe de jornalismo da TV Guará, têm se saído relativamente bem das questões levantadas pelos profissionais. Flávio Dino foi o primeiro e aproveitou para alfinetar o ex-aliado Roberto Rocha que ainda não compareceu ao programa, mas poderá ocorrer por toda esta semana. A vez da ex-governadora Roseana Sarney, pelo que se sabe, será nesta segunda-feira (2) a partir das 19h30min. Os dois mais bem avaliados nas pesquisas botaram seus “blocos” na rua, mas incompletos.   

TEMPO CURTO
Ao PSTU, o tempo destinado na TV só dá para lembrar aos eleitores que “só a luta muda a vida”, além de o áudio ser de péssima qualidade. O espaço da candidata Maura Jorge, aliada de Bolsonaro, também é de apenas alguns segundos. Já o Flávio Dino (PCdoB), por ter mais partidos na coligação, tem maior tempo disponível, seguido de Roseana Sarney (PMDB) e Roberto Rocha (PSDB).

CHUVAS
Na última semana, por dois dias seguidos as chuvas registradas não deixaram de prejudicar as obras de recuperação da estrada Campinas-Santana, em São João Batista, que estão sendo executadas por iniciativa do prefeito João Dominici. Trata-se da mais importante via de ligação entre a cidade e a zona rural do município e que beneficia vários povoados e milhares de moradores dessas áreas.      

NA CONTRAMÃO DA HISTÓRIA
O ex-vice-prefeito de São Bento Isaac Filho é candidato a deputado estadual e aparece na propaganda da TV apoiando Roseana Sarney, na contramão da história do seu pai, meu amigo e companheiro de lutas na oposição a esse grupo, que mandou e desmandou no Maranhão por quase meio século. É a consequência das brigas e/ou divergências municipais. Lá em São Bento o prefeito Luizinho denunciado ao Ministério Público pela prática de corrupção – integra o grupo do atual governador, razão alegada pelo candidato e advogado Isaac Filho para justificar sua posição.

BOM CANDIDATO
Também candidato à Presidência, Álvaro Dias é um dos melhores senadores em termos de ética e competência, mas seu desempenho nas pesquisas deixa muito a desejar. Foi governador do Paraná e deixou o cargo no começo da década com mais de 80% de aprovação. Mas o povo brasileiro gosta mesmo é do Lula e por revolta do Bolsonaro conforme as pesquisas. Só a luta muda a vida?...

sábado, 1 de setembro de 2018
RESULTADOS DE PESQUISAS CONFUNDEM ELEITORES

A diferença apresentada pelas pesquisas EXATA/JORNAL PEQUENO e a IBOPE/TV MIRANTE é superior a 20% em prol de Flávio Dino (PCdoB) sobre Roseana Sarney (MDB). Enquanto Exata aponta Dino com 61% na preferência do eleitorado o Ibope apurou que ele tem apenas 43% vislumbrando a possibilidade de um segundo turno na eleição para governador, dependendo, naturalmente do desempenho dos outros candidatos que aparecem com baixo nível de aceitação, até agora.



Para os observadores, a propaganda no rádio e na TV, que começa no próximo dia 31 deste mês deverá contribuir para uma definição mais apurada dos eleitores quanto o voto. Ainda há muitas dúvidas percorrendo a cabeça de significativa parcela da população e, nesse caso, os marqueteiros das coligações podem ajudar a sensibilizar os ouvintes e telespectadores no tocante à escolha dos candidatos. Uma campanha bem feita e a propaganda mais convincente podem ajudar os candidatos a serem observados com mais interesse pelos atuais indecisos.
As pesquisas que virão depois do início do chamado horário gratuito nos meios de comunicação tradicionais devem apresentar um quadro mais real sobre a preferência de cada votante que ainda não escolheu nenhum dos postulantes ao governo do Estado. É evidente o bom desempenho do governador Flávio Dino, que busca se reeleger. Mas não se pode descartar que outros candidatos melhorem suas posições na corrida sucessória.
Enquanto a opinião majoritária é a de que Flávio se reelegerá com facilidade, uma minoria ainda acredita que Roseana Sarney, ombreada por Lobão e Zequinha, cresce e poderá levar a eleição para o segundo turno, o que não seria bom para o governador já que todos os outros adversários convergiriam para reforçar a candidatura de Roseana. É aguardar e conferir.

FESTA PARA ZÉ REINALDO
O prefeito João Dominici e o ex-prefeito Eduardo Dominici reuniram no povoado Cruzeiro, na última sexta-feira, centenas de lideranças políticas e comunitárias para apresentarem os seus candidatos a deputado estadual (Marcelo Tavares), à Câmara Federal (Evilásio) e a senador (José Reinaldo Tavares). Os Dominici lembraram que daquele povoado, sob a liderança deles a maioria da população de São João Batista, unida, tem decidido eleições vitoriosas não só para a Prefeitura local, mas também para deputados, senadores e governadores apoiados por eles.
Agradeceram ao povo que nunca se furtou ao chamamento deles nos momentos mais importantes para o município e para o Maranhão, como este, onde o povo vai eleger os seus representantes na Assembleia, no Congresso Nacional e, também, o futuro governador do Estado.
Com Flávio Dino (governador),  Evilásio (deputado federal),  Marcelo Tavares (estadual) e Zé Reinaldo (senador) o prefeito e o ex-prefeito deverão completar a chapa que irão apoiar, com Edson Lobão como o segundo senador. Emocionado, o prefeito João Dominici afirmou, agradecendo a presença de todos ao encontro. “Todas as reuniões convocadas por mim ou por Eduardo são marcadas por grande satisfação e se justificam porque nós não perseguimos ninguém, não odiamos ninguém, pelo contrário, somos amigos de toda a população, damos a nossa contribuição permanente para o crescimento de São João Batista e o bem estar do povo”, disse acrescentando que os candidatos que apresentados têm o compromisso ajudarem o nosso município e buscar sempre a melhoria de vida para todos.

CANDIDATOS SE COMPROMETEM
 Zé Reinaldo, na época em que governou o Estado, realizou muitas obras, destacando-se a construção de poços artesianos na cidade e em várias comunidades amenizando o sofrimento das famílias que sofriam bastante com a falta d’água, principalmente durante o verão.
Ao final, todos se pronunciaram e prometeram trabalhar em prol do desenvolvimento do município de São João Batista.

ATENDENDO PEDIDO
O governador Flávio Dino, atendendo ao pedido do presidente do Tribunal de Justiça, que tem um filho candidato a deputado estadual, autorizou o asfaltamento da estrada que liga a cidade de São João Batista ao povoado de Enseada dos Bezerros, dentro do Programa Mais Asfalto. Nada contra – pelo contrário – louvamos a realização da obra. Ocorre, porém, que sob a alegação de que esse programa foi feito para contemplar as áreas urbanas dos municípios, teria negado pedidos do gênero a políticos aliados, mas autorizou o asfaltamento de uma estrada vicinal que precisaria, antes do asfalto, ser preparada de acordo com as exigências da engenharia. Sem essa preparação significa desperdício de dinheiro público.    

ROSEANA/TEMER
Atrelada ao governo do impopular presidente Michel Temer e ao desgastado MDB, Roseana Sarney - que em tempos passados foi apoiada pelo PT de Lula - nesta eleição terá de se contentar com as críticas e a indiferença desse partido que apesar de tudo que ocorreu no Brasil, por culpa dos seus governos, continua tendo a preferência da maioria da população maranhense. Nem o seu ex-vice-governador Washington Luís, nomeado por ela conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, a apoiará. Nem mesmo votará nela.

REGISTRO
Com satisfação a coluna registra o aniversário da senhora Maria Feitosa Alves (88 anos), ocorrido na última quarta-feira (22). Impossibilitado de pessoalmente ter ido a Brasília para abraçá-la, seu filho José de Fátima Feitosa, conceituado advogado, envia votos de muitas felicidades, saúde e paz à sua mãe querida, residente na capital federal. A coluna se associa às homenagens à ilustre aniversariante.

sábado, 25 de agosto de 2018
COMEÇOU A “GUERRA” PELO VOTO

Registradas as candidaturas a cargos eletivos, os partidos colocaram seus representantes na rua, em busca dos votos. As feiras e mercados são locais preferidos para panfletagem por reunir grande número de pessoas, principalmente, aos finais de semana. Retornos e avenidas movimentadas representam pontos de grande fluxo, e, também, cobiçados pelos candidatos e cabos eleitorais na luta pela conquista de eleitores até então desinteressados em ir às urnas para cumprir o dever cívico e votar.
Observa-se, ainda, na capital e no interior a descrença do povo nos políticos depois dos escândalos envolvendo parlamentares que de uma hora para outra, beneficiados com o dinheiro público ficaram milionários aos olhos da população que se julga enganada e traída por mandatários corruptos que nada ou quase nada fazem em benefício do coletivo, mas, deles próprios e de familiares.
A troca de agressões e denúncias registradas na Assembléia Legislativa e as ações que tramitam na Justiça são pequenas referências sobre o comportamento espúrio de determinados parlamentares que deveriam ter vergonha de voltar, depois de quatro anos, aos bairros por eles esquecidos, depois de eleitos.
Promessas não cumpridas resultaram na ausência de parlamentares nos redutos que os elegeram. Esses devem agora procurar outros municípios onde são desconhecidos para enganar os incautos. No Congresso nacional são inúmeros réus reincidentes na prática ilícita, como lavagem de dinheiro e corrupção ativa.
Por essas razões postulantes a cargos eletivos provam amargamente do protesto e da repulsa de grande parte da população mais consciente e informada. Muitos eleitores rejeitam, inclusive, os panfletos de propaganda de políticos no país inteiro e, no Maranhão, não é diferente. A campanha está na rua, mas, significativa parcela de eleitores não tomou conhecimento e nem se empolgou, numa demonstração clara de que a abstenção, este ano será recorde, péssimo para a democracia.

DISPUTA EM IMPERATRIZ
O município de imperatriz, primeiro reduto eleitoral depois de São Luís tem recebido candidatos de todos os naipes nos últimos dias. Na semana passada a emedebista Roseana Sarney marcou presença em várias cidades da região. Neste final de semana, Roberto Rocha (PSDB) e Flávio Dino (PCdoB), também, foram lá e em outros municípios no entorno da “capital” tocantina. Roberto Rocha esticou a viagem a Balsas, no sul do estado.

SÃO JOÃO BATISTA
Em São João Batista o prefeito João Dominici autorizou a recuperação da principal estrada do município (Campinas / Santana) beneficiando diretamente 06 (seis) povoados: Campinas, Vertente, Romana, Olinda dos Aranhas, Maravilha e Santana e indiretamente cerca de quase uma dezenas de comunidades da região. A obra foi iniciada semana passada e a previsão de custo da primeira etapa gira em torno de R$ 320, 000,00 (trezentos e vinte mil reais), conforme consta na placa colocada no local. A obra é necessária e urgente, essa a razão que levou o prefeito, com recursos da prefeitura, autorizar os serviços.

APOIO
O ex-prefeito e principal liderança de São João Batista, Eduardo Dominici, declarou apoio aos candidatos José Reinaldo Tavares e Edison Lobão (Senado) e Flávio Dino (governador). O importante para Dominici é apoiar políticos que podem ajudar na execução de projetos para o desenvolvimento de São João Batista. Essa é a meta.

CRÍTICAS   
Os adversários do candidato a presidente da República, Geraldo Alckmin (PSDB), não poupam críticas a ele pelo fato de ter coligado com partidos que formam o Centrão alegando que a maioria dessas legendas tem parlamentares envolvidos em atos de corrupção. O que essa gente diria se soubesse que esses mesmos partidos estão coligados com o PCdoB do Maranhão e apóiam a reeleição do governador Flávio Dino? Marina Silva precisa entender que voto não se rejeita. De ladrão ou de honesto, tem o mesmo valor.

TRANFERÊNCIA DE VOTOS
O petista Lula da Silva seria eleito, dizem as pesquisas. Considerando que essa candidatura vai ser impugnada pela Justiça Eleitoral, o candidato a vice, Haddad o substituirá na cabeça da chapa. Pergunta-se: será que Lula será capaz de transferir esses votos ao ex-prefeito de São Paulo? Se conseguir Lula será coroado como líder e herói desta Nação. Particularmente ainda acredito na possibilidade dele concorrer à eleição, mesmo sub-júdice e, se ganhar, a força popular e a solidariedade internacional o levarão ao Palácio do Planalto. Posso está errado!

VIOLÊNCIA
O Rio de Janeiro, mesmo estando sob intervenção na Segurança Pública continua violento. Os traficantes de droga acirraram a disputa de espaços e os assaltantes de carro forte agem, impiedosamente, contra as suas vítimas. Mais bem armados do que a polícia, os criminosos demonstram desumanidade e praticam suas ações com muita disposição para matar. São organizados e violentos, não temem Ministério Público, Justiça e tampouco os órgãos de segurança. A crueldade dos criminosos é notória nos momentos em que estão em ações que geralmente acabam com pessoas assassinadas de forma bárbara. É uma situação, realmente preocupante. Apesar da polícia na rua, do serviço de inteligência que parece não funcionar a contento, nos confrontos, geralmente, os bandidos levam vantagem, conforme o noticiário do dia-a-dia.        

sábado, 18 de agosto de 2018
INELEGIBILIDADE DE FLÁVIO DINO

A juíza Anelise Reginato, de Coroatá sentenciou a inelegibilidade do governador Flávio Dino (PCdoB) em decisão prolatada em processo que tramita desde 2016, naquela Comarca, sob a alegação da prática de crime eleitoral. Blogueiros e aliados de Dino, imediatamente partiram para o ataque, através das redes sociais contra a magistrada o que motivou à Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA) a emitir nota pública de solidariedade à juíza ao mesmo tempo em que promete providências no sentido de apurar e identificar os autores das agressões consideradas pela entidade como desrespeitosas.
Na verdade, a decisão é legítima e os argumentos são pertinentes cabendo, no entanto recursos às instâncias superiores, pela parte ofendida, no caso o governador. Atentar contra a liberdade de uma juíza exercer a sua função nos parece se contrapuser aos princípios democráticos que norteiam o exercício dos membros do Poder Judiciário e dos demais poderes.
Não significa que a decisão da juíza Analise deve ser ou não acatada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TER) e pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aos quais, cabe ao governador e demais agentes envolvidos encaminharem recursos. Conversei com vários advogados e obtive informações sobre o processo que condena o governador maranhense e seus aliados por cometerem crime eleitoral. “Qualquer juiz tem o dever de se posicionar em qualquer processo e cabe ao julgado todo direito de recorrer, de acordo com os ditames da Constituição Federal”.
Alega-se que os interesses do grupo político liderado pela candidata adversária, ex-governadora Roseana Sarney, foram atendidos nesse episódio, e, evidentemente, atrapalha o processo de campanha de Dino, mas, como já foi dito, não se trata de um caso acabado, pois, ainda tem muita água para rolar pelos riachos poluídos da política maranhense. Há muito tempo a coluna vem alertando que o grupo Sarney pensa e trabalha 24 horas por dia, na busca de fatos ou factóides para infernizar a vida de adversários. O governador Flávio Dino deve está sempre atento a essa realidade. Se não...

O DEBATE DOS PRESIDENCIÁVEIS
O debate promovido pela Band, na última quinta-feira (10), não atendeu completamente as expectativas do eleitorado brasileiro que esperava um conjunto de propostas mais consistentes. O senador Álvaro Dias, considerado como bom candidato não foi objetivo, tropeçou no tempo e logo no início não concluiu o raciocínio. O capitão Bolsonaro e o cabo Daciolo, deputados federais, demonstraram despreparo para presidir o Brasil.
Henrique Meirelles (MDB), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) foram os mais questionados e se saíram com razoável conhecimento dos problemas enfrentados hoje no Brasil, como o desemprego, a corrupção, os privilégios e a deficiência de gestão.

MEDO OU CONVENIÊNCIA?
Cinco ex-prefeitos de São João Batista (Zequinha Soares, Amarildo Pinheiro, Júnior de Fabrício, Tonho Figueiredo e Surama Soares), todos envolvidos com a Justiça declararam apoio ao filho do desembargador e presidente do Tribunal de Justiça, José Joaquim Figueiredo dos Anjos, candidato a deputado estadual. A população comenta nos bastidores as mais diversas razões desse apoio, uma vez que os ex-prefeitos são adversários (entre si) na política local. Agora, juntos, rezam na mesma cartilha, por medo ou conveniência?

COM FLÁVIO
A maioria (para não arriscar na totalidade) desses ex-prefeitos, por décadas fora a régua e o compasso de Roseana Sarney no município. Hoje apóiam à reeleição de Flávio Dino. “Viraram comunistas de uma horta para outra”...

FRACA RECEPTIVIDADE
Informações que chegam à coluna dão conta de que a ex-governadora Roseana Sarney, não está satisfeita com a fraca receptividade constatada no interior do Estado. No momento a emedebista visita a região sudeste, onde tenta reconquistar a simpatia e o apoio do eleitorado, principalmente de Imperatriz, segunda maior cidade do Maranhão.

EXPECTATIVA
Esta sendo aguardado, com grande expectativa, o resultado da próxima rodada de pesquisas para governador e senador maranhenses. Observadores acreditam que, depois de homologadas em convenções as candidaturas de Roberto Rocha (PSDB), Roseana Sarney (MDB), Maura Jorge (PSL), Odivio Neto (PSOL), Zapata (PSTU) e Flávio Dino (PCdoB), haverá mudança na preferência do eleitorado que nas consultas anteriores gravitavam entre os nomes de Roseana e Flávio. Agora, apresentadas as outras opções, o número de indecisos deve diminuir e mudar o mapa mostrado até hoje que dava ao governador Flávio Dino expressiva maioria.

SEGUNDO TURNO
Contrariando a previsão de vitória, no primeiro turno de Flávio Dino, há quem já acredite que a eleição para governador vai para decisão no segundo turno. O percentual de Flávio Dino nas últimas pesquisas girava em torno de 60%.

DEBATE
A Band vai promover debate entre os candidatos a governador nos estados. Até agora, pelo menos no Maranhão ainda não foi informado pela emissora quantos e quais os candidatos que deverão participar desse encontro para discussão de idéias e apresentação de propostas dos postulantes. Pode-se adiantar que todos com direito de participação devem está presentes.

DIA DOS PAIS
Comemora-se hoje o Dia dos Pais e a coluna registra o nosso desejo de que todos tenham um dia feliz, com muita paz, realizações e muita saúde. Em especial, um forte abraço aos que integram a “Turma do Bem” ou “confraria do copo” que se reúne nos finais de semana na Churrascaria Noventa, do amigo Roberto, no posto de gasolina (Curva dos Noventa).    

    

sábado, 11 de agosto de 2018