VISÃO DE FUTURO


As críticas nunca me incomodaram. E quando elas surgem são motivadas pela contundência dos meus argumentos sobre o tema em foco. Ou, às vezes, pela benevolência revelada às ações de administradores que, nem todos, os conheço pessoalmente, mas, que, como observador e comentarista sinto-me no dever de acompanhar os seus trabalhos em benefício da coletividade (ou contra). Refiro-me, hoje, às diferenças de atitude e de gestão do governo Flávio Dino (PCdoB), e o da presidenta Dilma Rousseff (PT), aliados, porém, pensam e agem de forma diferente na condução dos destinos do estado e do país, respectivamente.

No Maranhão, o que se vê são ações que objetivam melhorias salariais e valorização do funcionalismo público estadual; promoções de militares que naturalmente os motivarão na execução de um trabalho mais eficaz no combate à violência e à criminalidade. Investimentos significativos na educação e na saúde, setores antes marcados pela corrupção desenfreada promovida por gestores descompromissados com o interesse público. O combate a esse “câncer” e o reparo aos descasos de contratos fraudulentos de empresas terceirizadas que recebiam com atraso e, conseqüentemente, davam calotes aos seus contratados, são atos de um governo que nos parece, efetivamente, disposto a colocar as coisas nos seus devidos lugares.

Um governo que se preocupa em corrigir distorções que afetam diretamente segmentos da sociedade demonstra que quer cumprir, fielmente, as propostas apresentadas quando em campanha buscava essa oportunidade de mudar, para melhor, o Maranhão. Flávio Dino está conseguindo, com desprendimento e vontade política, colocar o Maranhão no trilho do desenvolvimento. Na contramão, anda o governo federal, conforme o próprio governador, na coluna “Tuitaços do Dia” do JP publicou, na última quinta-feira (25), que “Enquanto energia é desperdiçada, aí estão à recessão e o desemprego a desafiar a imaginação e o espírito público dos políticos do Brasil”. Principalmente o espírito público.

A presidenta Dilma Rousseff perdeu o poder de convencimento, através dos argumentos, com a maioria dos congressistas que hoje prefere o entendimento com o vice-presidente Michel Temer, mais dócio e mais condescendente com a classe política igualmente, desacreditada, pelas atitudes tomadas que, em alguns momentos “cheira chantagem”. Ou troca de favores pessoais e assim, quem se “ferra” é a sociedade com inflação subindo PIP caindo, desemprego e recessão desenhando o pior para o Brasil no presente e no futuro.

E é com essa perspectiva e visão de futuro que Flávio Dino, ao continuar nesse ritmo e com essa disposição terá sempre a aprovação dos maranhenses. (A última pesquisa aponta que quase três terços da população o aprovam). Há o reconhecimento da mídia nacional sobre a equilibrada gestão, com acentuado combate à corrupção, prática confirmada em administrações passadas. Por tudo isso não se deve descartar a possibilidade de ele chegar à Presidência da República, senão em 2018, quando deverá ser reeleito, mas em 2022.

O banquete, para o qual não fui convidado a participar e nem faço este comentário com a intenção de me beneficiar - é apenas um reconhecimento – está montado e será servido na hora certa, com a perspectiva de se ter um futuro mais promissor para o Brasil e, particularmente, para o Maranhão, sem o intrometimento ou participação da oligarquia personalista, autoritária e corrupta. Faço esta observação para evitar que os oportunistas de espírito perverso façam interpretações precipitadas e maldosas sobre o que penso e abordo com convicção e sinceridade, sem a preocupação de agradar ou desagradar quem quer que seja. E a vida segue!...

MURAD X ROSEANA

A ex-governadora Roseana Sarney está cada vez mais empolgada com a sua provável candidatura à sucessão de Edvaldo Holanda. Ricardo Murad está decidido, também a concorrer ao cargo e já ameaça a deixar o PMDB, caso lhe seja negado à oportunidade de ser candidato pela legenda. Ainda há acertos a serem feitos e um deles que está sendo costurado é a composição de uma chapa com Roseana na cabeça e Murad na vice. Eles sempre se entendem.

CASTELO NO DEM?

O ex-prefeito e atual deputado federal (PSDB-MA), João Castelo sem o comando da legenda em São Luís, estaria buscando abrigo no DEM para se habilitar, sem problemas, a disputar a prefeitura da capital maranhense que administrou no período 2009/2012, com boa aprovação de significativas parcelas da população. Eliziane Gama (PPS) e Rose Sales (PP) serão, definitivamente, candidatas. O PSTU, PCB e PSOL, que conversam muito na tentativa de unir as forças, ao final se desentendem, poderão concorrer com candidatos próprios. O PPL já se definiu pela candidatura do médico cardiologista Zé Luís Lago e o PT e o PCdoB costuram aliança com o PTC de Edvaldo Holanda.

ASTRO DE OGUM

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, Astro de Ogum, segundo observadores, apesar de declarar sua pretensão de ser candidato a prefeito, vai mesmo é disputar a reeleição, com ampla chance de vitória. “Ele não vai, com a experiência adquirida correr o risco de ficar sem mandato” – declarou à coluna uma fonte próxima ao presidente. Astro estaria reorganizando, administrativamente, a Câmara Municipal, oficializando a nomeação de diretores e assessores da Casa e providenciando o contrato com o banco que vai administrar as contas daquele Poder, até o momento sob a responsabilidade do Bradesco.

SUGESTÃO

Os veículos que atendem os serviços da Segurança Pública, às vezes, fora do Estado, são “barrados” pela fiscalização da PRF e, quando constatado o não pagamento do IPVA os policiais perdem tempo explicando aos agentes da polícia rodoviária e solicitando a liberação dos veículos. O governo deveria encaminhar Projeto de Lei à Assembléia Legislativa, propondo a isenção do pagamento do IPVA das viaturas do sistema de segurança do Estado e evitar o vexame porque passa, em algumas ocasiões, a polícia maranhense.

Nenhum comentário

Por favor, peço que não usem palavras chulas ou que denigram pessoas em seu(s) comentário(s). Agradeço sua compreensão.