Em São João Batista auditagem e fiscalização mostram o caos e descaso da coisa pública

O município de São João Batista vive momentos de sofrimentos, mas de grande esperança, quando foi sentenciado liminarmente o afastamento do prefeito Amarildo Pinheiro, no dia 03 de junho por ordem judicial de um grande magistrado, o juiz da comarca de São Bento respondendo por São João Batista, atendendo pedido da promotora de Justiça do município, reconhecendo erros absurdos em processo licitatório até com falsificação de assinaturas. 

O município encontra-se em verdadeiro estado de abandono, órgãos e inclusive a Prefeitura depredados, sem material de expediente e limpeza, sem energia (débito na CEMAR de 90 mil); sem água para consumo, sem mobiliário adequado, sujeira em todos os cantos. Quando iniciado os procedimentos da real situação todos inclusive o povo que pedia clemência as autoridades constituídas, mas absurdamente o crime cometido pelos vereadores em se tornarem omissos de seus verdadeiros objetivos fiscalizatório da coisa publica. 

Veja bem, os débitos com fornecedores: só de combustível ultrapassa os R$ 250 mil; aluguéis atrasados desde janeiro de 2016; comércio local endividado por não receber da Prefeitura; funcionários atrasados, alguns até quatro meses, sem deixar de dizer o fracionamento do salário mínimo para três ou quatro pessoas, o que é proibido por lei; sem merenda escolar na maior parte do mês e de péssima qualidade; O hospital que deveria dar saúde, está pedindo socorro (doente pelo abandono); empresas de fornecimento fantasmas e os tributos recebidos por pessoas físicas sem contabilizar; um grande número de servidores recebendo sem nunca terem ido ao seu serviço, uns moram até em São Paulo.

É, mas o prefeito afastado tem bons professores. 

Agora vamos abaixo provar o que aqui falamos e o que Amarildo Pinheiro insiste em afirmar, através de seus “aliados”, das “artimanhas da oposição”.

Será que mostrar a verdade é mesmo artimanha? 

Vejam bem as fotos, analise e tire suas conclusões.




TRANSPORTE ESCOLAR - Ônibus Escolar comprado com verba Federal, encontrado em situações de total destruição, faltando pneus, motor, assentos e outros. Este é apenas um dos ônibus, pois os demais se encontram em condições inapropriadas para o transporte de estudantes.



HOSPITAL MUNICIPAL - O estado do hospital é lastimável. Além de não ter remédios e materiais básicos para atendimento, o lixo hospitalar é deixado para ser amontoado, fazendo assim, funcionários e pacientes correrem grandes riscos de infecções.



ESCOLA COM PADRÃO FNDE - Mais uma de várias escolas que foram dadas início e não foram terminadas, cuja verba FEDERAL foi liberada e o mesmo não foi aplicado com responsabilidade e transparência.



EDUCAÇÃO - Escola abandonada à sorte no povoado QUIA, São João Batista, afetando a comunidade carente de educação e todo o cronograma educacional. A verba foi direcionada para a reforma, mais o destino da verba não foi concluído, se perdendo no meio do caminho.



ESCOLA PADRAO FNDE 2 - No povoado BURAÇANGA, em São João Batista, mais uma obra iniciada e não finalizada, a verba do GOVERNO FEDERAL foi liberada, mas a escola nunca foi terminada. Valor da obra é de R$ 235.198,59.



CRECHE ESCOLAR - Mais uma construção com VERBA FEDERAL que foi inicializada e não houve término. A administração responsável pelo início da obra retirou as placas onde havia o valor e o prazo, tendo em vista que este mesmo prazo já tinha expirado. 



ARQUIVO PÚBLICO - Este é o estado dos arquivos públicos da Prefeitura de São João Batista. Um verdadeiro atentado ao cidadão joanino. Todos os arquivos jogados e sem nenhum tipo de cuidado.



CEMITÉRIOS DAS MAQUINAS - Carros e máquinas sendo destruídos pelo tempo dentro do quintal da casa do prefeito afastado Amarildo Pinheiro.


Nenhum comentário

Por favor, peço que não usem palavras chulas ou que denigram pessoas em seu(s) comentário(s). Agradeço sua compreensão.