O PODER EMANA DO POVO?

Contrastando a Constituição Federal que tem inserido no texto “todo poder emanda do povo”, na prática quem manda e determina tudo é o poder do Palácio do Planalto e do Congresso Nacional. Eles, os poderosos se entendem, jogam com facilidade e conduzem tudo até fazer o gol de placa. Assim foi com o senador Edson Lobão (PMDB-MA), eleito presidente da Comissão de Constituição e Justiça, envolvido em processo de propina, segundo a Lava Jato e será com Moreira Franco a partir de segunda-feira, quando será julgado o recurso do presidente Michel Temer, contra a decisão de juízes que tenta impedir à ascensão de Moreira ao status de ministro de Estado ou deixá-lo no cargo, mas, sem foro privilegiado.  
Da mesma forma, o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, também citado em delação (teria recebido R$ 1 milhão da OAS).  Renan Calheiros, Romero Jucá e José Sarney. Os dois primeiros como autores de vários crimes, e, agora com Sarney respondem por tentativa de obstrução à Justiça.
É uma chuva torrencial que abala Brasília e tem repercussão no mundo. As reformas propostas pelo governo que tramitam na Câmara Federal serão aprovadas não porque são boas para o povo ou para o Brasil, mas, porque o presidente da República e sua equipe querem e dispõem de apoio mais que necessário no parlamento. O Rio de Janeiro e sua população e, em particular os funcionários públicos, civis e militares sofrem as conseqüências da roubalheira promovida pelo ex-governador Sergio Cabral e seus afagados colaboradores como o famoso, ex-milionário Eike Batista. Poderão ser condenados a 30, 40, 50 anos de prisão, porém, em menos de 10 anos, estarão em liberdade e utilizando o resto da fortuna adquirida ilicitamente. E o governador Pezão foi citado como beneficiários de propina e foi cassado pelo TER-RJ por abuso do poder econômico na eleição de 2014. É desgraceira!...     
E o Eduardo Cunha? Esse continua “armando” para sensibilizar a opinião pública e a Justiça, para voltar para sua casa. Ele está com saudade das mordomias que o poder lhe proporcionou décadas a fio. Queixa-se de uma aneurisma e criticou o tratamento que recebe na prisão onde tem, inclusive, assistência médica permanente. Se ele soubesse como vivem presos comuns nas penitenciárias brasileiras, não reclamaria tanto.   
 Esses exemplos de envolvimento em falcatruas de mais de uma centena de políticos e dezenas de empresários, todos beneficiários do dinheiro público, levam o povo brasileiro a perder a fé e a esperança em dias melhores. Sim, porque atos de corrupção no país inteiro continuam sendo praticados em governos de todos os níveis, como se não existisse uma força tarefa pronta para apurar as falcatruas e prender os responsáveis. A Operação Lava Jato parece não inibir os doidos, fanáticos, aloprados por dinheiro fácil. A corrupção prospera... E o Brasil e o povo empobrecem, cada vez mais.

DEPUTADA REVOLTADA
A deputada Andréa Murad, ao falar da tribuna da Assembléia Legislativa, tem sido incisiva nas críticas contra o governo Flávio Dino. Denuncia atos irregulares que estariam acontecendo na Secretaria de Saúde do Estado. Considerando que o pai dela, Ricardo Murad foi denunciado pela mesma prática, como titular daquela pasta no governo Roseana Sarney, é lógico o seu direito de pedir apuração para os fatos por ela levantados. Não conheço a deputada, mas considero descabidos os adjetivos dados a ela, ao analisarem o seu comportamento na tribuna.
Da mesma forma como os governistas parlamentares têm o direito de defender seus pontos de vista e até elogiar a atual administração e o chefe, ela, na oposição tem de denunciar tudo que chega ao seu conhecimento. Tem parlamentar moderado, que faz suas críticas e denúncias de forma mais elegante, prudente. No caso da deputada Andréa Murad é necessário que a crítica entenda a sua revolta por tudo que aconteceu com o pai dela. Em respeito à opinião pública, a secretaria de Saúde tem o dever de responder – desmentindo ou justificando – essas denúncias de superfaturamento. Ninguém pode se arvorar de dono da verdade ou se omitir de prestar contas das atribuições que exerce no serviço público. É a opinião da coluna.

SEM ESCÃNDALOS
É agradável saber que nos primeiros dois anos do governo Flavio Dino (PCdoB), não houve registro de nenhum escândalo de corrupção. O relacionamento entre governo / sociedade organizada/ servidores / civis e militares tem sido respeitoso. Não se pode negar que em administrações anteriores o Maranhão estava sempre inserido nas páginas de jornal, como “membro efetivo” das bandalheiras que ocorriam no Brasil. É bom saber que houve tomada de providências por parte do governo para que na Penitenciária de Pedrinhas não se repetisse a carnificina que ocorreu naquele local que deixou um saldo de aproximadamente 60 mortos, alguns decapitados e esquartejados. Um atestado de desumanidade que o atual governo conseguiu rechaçar.   

NO BB DE SÃO JOÃO BATISTA

Clientes reclamam do atendimento dispensado a eles pela gerência do Banco do Brasil em São João Batista. Lá o maior cliente é a Prefeitura Municipal e, de acordo com as denúncias chegadas à coluna, funcionários e até secretários municipais não merecem a devida atenção do dirigente bancário que chega a negar informações solicitadas pela Prefeitura, com referência às contas que mantém naquela instituição. O relacionamento que deveria ser amistoso entre o banco e os clientes fica cada vez mais azedo. Há lei que determina obrigatoriedade para as prefeituras manterem todas as contas no BB. Se não fosse isso, muitas já teriam se transferido para outros bancos... Aliás, aproveitando a oportunidade, é bom destacar que a maioria dos bancos vende, através da propaganda, facilidades aos clientes que verdadeiramente não cumpre. Quer, apenas, captar e lucrar.           

Nenhum comentário

Por favor, peço que não usem palavras chulas ou que denigram pessoas em seu(s) comentário(s). Agradeço sua compreensão.