Candidato a governador pelo PSTU, Saulo Arcangeli discute segurança pública com o Sinpol

O candidato a Governador pelo PSTU Saulo Arcangeli , juntamente com a candidata a Vice Ana Paula Martins , debateram a segurança pública do estado com o Sindicato dos Policias Civis do Maranhão (SINPOL).Participaram da reunião o Presidente da entidade Heleudo Moreira, o Vice-Presidente João Vitor, o Diretor de Imprensa Itamar Ferreira e o Tesoureiro Geral Emanoel Trindade.
 

Saulo iniciou a reunião reafirmando que a segurança faz parte de um sistema bastante complexo e que é necessário investimento em políticas públicas para combater duas causas básicas do aumento da violência no estado: o desemprego e a miséria. “Devemos investir em educação, criar um grande plano de obras públicas que gerem emprego, punir exemplarmente grandes corruptos e corruptores que sugam nosso estado e garantir o fortalecimento dos Conselhos Comunitários de Segurança que necessitam cumprir um papel preponderante.”, afirma Saulo Arcangeli.

Os diretores da entidade fizeram um diagnóstico do sistema de segurança do Estado e das dificuldades enfrentadas pela polícia civil do Maranhão. Durante a conversa foram relatados vários casos que reforçam a omissão do poder público e do atual governo de Roseana Sarney, como a falta de uma política salarial permanente, com formação, que valorize o policial civil, a necessidade de concursos públicos para recompor (grande número de aposentadorias) e aumentar o efetivo que é um dos menores do país e de aproximadamente 2100(01 policial civil para 3117 habitantes) e combater um processo acelerado de terceirização dos serviços da polícia.

Outro grave problema é a falta de condições adequadas e dignas de trabalho, já que as unidades prisionais nos vários municípios do estado estão abarrotadas de presos(grande maioria de pobres e negros), não funcionam durante a noite(algumas apenas em regime de plantão), são situadas em locais sem a mínima estrutura, com uma média de apenas 06 policiais por delegacia, com condições desumanas para presos e trabalhadores da segurança. Em relação aos adicionais e auxílios, a reivindicação é o aumento dos adicionais de insalubridade (em média o policial recebe R$ 140,00/mês) e noturno( são R$ 92,00/mês, independentemente da quantidade de horas noturnas trabalhadas) e um aumento no valor do auxílio-alimentação(hoje em R$ 284,00). Condições estas que afetam a saúde e os serviços prestados para a sociedade.

No caso do combate eficiente ás drogas, que está espalhado por todo o estado e atinge todas as classes sociais, avaliou-se que não existe material humano e estrutural. Heleudo reforça “Com a falha no processo investigatório, não temos condição de pegar os grandões e poderosos que controlam o tráfico”.

Ao final Saulo Arcangeli disse que se compararmos o orçamento do estado com segurança, verificamos que houve uma redução de 10,5% do orçamento em 2013 para 6,3% em 2014. Logo, não tem política de estado para o setor, apenas arranjos a bel-prazer de quem está no governo. “ Necessitamos criar um Plano de Segurança Pública para valorizar e garantir uma politica salarial permanente, pois o final de carreira de um policial civil do Maranhão chega a ser de aproximadamente 30% do valor pago em outros estados, realizar concurso público, garantir condições dignas de trabalho, uma reestruturação e descentralização do sistema prisional, respeito aos direitos humanos de todos, uma política de prevenção social do crime para garantir um melhor convívio com as comunidades e buscar a integração das policiais civis e militares para que não ocorra desvio das funções que prejudicam o trabalho da segurança pública no estado”, conclui o candidato a governador Saulo Arcangeli.

Nenhum comentário

Por favor, peço que não usem palavras chulas ou que denigram pessoas em seu(s) comentário(s). Agradeço sua compreensão.