Denúncia contra Lula: Moro deve decidir nesta segunda

O juiz Sergio Moro deve decidir amanhã se acata a denúncia dos procuradores do Ministério Público Federal (Operação Lava Jato) que expõe o ex-presidente Luís Inácio da Silva (PT) como o líder e comandante da corrupção na estatal Petrobrás e o coloca como beneficiário de propina e arquiteto de um projeto para se perpetuar no poder por via do que denominaram de propinocracia.


Em discurso proferido na última quinta-feira, em evento organizado pelo PT, no Novotel Jaraguá, em São Paulo, Lula reagiu com críticas pesadas contra os seus acusadores e declarou textualmente: “se provarem que eu sou corrupto irei andando me entregar para ser preso”. Sobre essa declaração do ex-presidente o procurador Dallagnol disse que a recebeu com naturalidade porque sabe que todos os acusados, geralmente, negam as irregularidades cometidas. 

As conseqüências dessas acusações agravam as desconfianças da sociedade sobre o Partido dos Trabalhadores. E para o seu maior expoente, o Lula, tudo foi feito com esse objetivo: tirá-lo da cena eleitoral, como candidato à Presidência em 2018. O ex-operário falou da sua trajetória, da pobreza da família e chorou. Repetiu que é inocente, mas não disse nada com referência à fortuna que acumulou no decorrer dos anos que governou o país. 

Espera-se que em pouco tempo tudo seja esclarecido para a população brasileira, maior vítima da corrupção que sangrou os cofres públicos desde o famoso “Mensalão” até os dias de hoje, conforme apurou a Operação Lava Jato, aprofundando a crise na economia, aumentando a miséria com inflação e desemprego; fechamento de indústria e falência de empresas e da classe média.

No auge do escândalo do Mensalão Lula, presidente, dizia não “saber de nada” enquanto seus ministros eram condenados e presos por prática de atos ilegais. Agora, segundo as declarações dos procuradores ele aparece como chefe – mor da quadrilha que quase afunda de vez o Brasil. Esperemos, pois, o desenrolar dos acontecimentos e que a verdade seja predominante, sempre.    
PROJETO DE PODER
O governador Flávio Dino, de acordo com opiniões de balizados observadores tem pensado no futuro político e teria traçado um plano para permanecer no poder por muitos anos. O primeiro objetivo é reeleger o prefeito Edvaldo Holanda que se desincompatibilizaria do cargo em 2018 para ser seu companheiro de chapa como vice-governador ou a uma cadeira a Câmara Federal, deixando à frente da administração municipal o vice-prefeito que é do PCdoB. O partido no comando político – administrativo do Estado, na Capital e nos maiores municípios do interior, até o ano de 2022 o governador Flávio Dino ganharia fôlego para arriscar (dependendo do que vai acontecer) até a Presidência da República ou, no mínimo, a senador pelo Maranhão.  
    
ROCHA NÃO TEM NADA A PERDER
O mandato do senador Roberto Rocha inspira só em 2022 e, segundo os mesmos observadores, ele poderá enfrentar Flávio Dino como candidato a governador em 2018. Sinais de que o relacionamento entre eles não é dos melhores, todo mundo já percebeu. As críticas de Rocha a Edvaldo Jr é indiretamente dirigida ao governador e o Palácio dos Leões tem essa convicção, tanto é verdade que o secretário Marcio Jerry já andou dirigindo críticas ao senador socialista através da sua página na internet. Essa troca de “gentileza” entre os dois aliados demonstra uma clara insatisfação de Rocha com relação ao grande apoio do governo estadual à gestão de Edvaldo. Ciúmes à parte, o clima tende a esquentar e não há, nos lados da fogueira, nenhum bombeiro disposto a apagá-la. 

PREFEITO AFASTADO DO CARGO 
A Justiça afastou na última sexta-feira (16) o Sr. Amarildo Pinheiro do cargo de prefeito do município de São João Batista, pela segunda vez neste semestre. O motivo seria a prática de desvio de verbas do FUNDEB para pagamento de “folha fantasma” beneficiando familiares do prefeito e dos vereadores que o apóiam. A denúncia foi apurada in-loco e o inquérito encaminhado à apreciação e julgamento da Justiça do Maranhão que decidiu pelo afastamento do prefeito do cargo que passará a ser ocupado pelo vice Júnior de Fabrício. 

FUNCIONALISMO
O prefeito Edvaldo Holanda Jr não antecipou, este ano, a primeira parcela do 13° salário dos servidores, como o fez o governo do Estado. Em solidariedade ao “companheiro” o presidente da Câmara, vereador Astro de Ogum também, não pagou, como de praxe. Um secretário teria aconselhado o prefeito a pagar os 50% do décimo neste mês de setembro, mas ele teria priorizado o pagamento de fornecedores. Há no seio da classe a preocupação sobre o pagamento integral do décimo terceiro e do salário de dezembro. Teme-se que último mês do ano, por falta de dinheiro seja pago com atraso, ou seja, só em 2017. Aí, meu amigo a eleição já passou, a preocupação diminui...

SEGUNDO TURNO
A última pesquisa do IBOPE divulgada em São Luís não deixa dúvida de que haverá segundo turno e o candidato Wellington do Curso, na simulação aparece à frente do atual prefeito. Esse resultado da pesquisa deixou em polvorosa os aliados de Edvaldo Holanda que começa a “correr atrás do prejuízo”.  Aqui, a Ilha é Rebelde, meu caro!... 

REUNIÃO COM DOMINICI
Conterrâneos do engenheiro João Dominici, provável futuro prefeito de São João Batista, se reuniram, ontem, no Parque Buriti, na área do Anjo da Guarda para ouvir as suas propostas visando melhorar a vida do joanino que hoje sofre com a má gestão municipal. Dominici garante que vai investir maciçamente nos setores de Educação e Saúde que carecem de atenção especial do gestor. A saúde pública está acéfala, sem medicamentos, hospital sem higiene e sem médicos em número suficiente para atender aos pacientes. Na educação a situação é premente. Professores e alunos desestimulados com os desvios promovidos pela administração atual que prima pela irresponsabilidade e/ou omissão. 
     

Nenhum comentário

Por favor, peço que não usem palavras chulas ou que denigram pessoas em seu(s) comentário(s). Agradeço sua compreensão.