A ideia que agrada a muitos

Por Joao Batista Azevedo (Interino)

A ideia das eleições gerais para este ano, incluindo para Presidente da República, ganha corpo em meio a população que deseja um fim para essa crise, bem como em alguns setores do judiciário, da classe política, entidades de classe, etc. A propósito, até uma comissão de senadores da república, em carta à Presidenta Dilma, sugeriu tal ideia como a única possibilidade de colocar nas mãos do povo a solução da grave econômica e política por qual passa o país.
No início da semana, o assunto foi tema de conversa entre Dilma, Jaques Wagner e Lula, em almoço no Palácio da Alvorada. Segundo relatos, Jaques Wagner já está convencido de que esta seria a melhor alternativa para o PT e o governo neste momento. A avaliação é que uma nova eleição é a melhor alternativa neste momento, um contragolpe que daria discurso à militância e às bases sociais.

“A gravidade do momento porque passa a Nação brasileira só será superada com atos de grandeza e coragem de nossas lideranças e nossas instituições políticas”, diz o texto da carta, completando que a crise não se resolverá com o impeachment. “Apelamos em favor de uma saída altiva de apoio a uma saída da crise pelo voto popular”, pedem os senadores, invocando ainda que Dilma “se coloque a disposição do povo brasileiro”.

O documento foi entregue com dez assinaturas. Além de Randolfe, Telmário e Angela, manifestaram apoio escrito os senadores Roberto Requião (PMDB-PR), Lídice da Mata (PSB-BA), Otto Alencar (PSD-BA), João Capiberibe (PSB-AP), Vanessa Grazziotin (PC do B-AM), Paulo Paim (PT-RS) e Jorge Viana (PT-AC). Cabe agora um pouco de pressão popular, para assim, resolver-se esse imbróglio.

Quero ver agora...

Líderes de cinco partidos e o Instituto Vladimir Herzog protocolaram nesta quarta-feira (27) uma representação criminal contra o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) na Procuradoria-Geral da República (PGR) por apologia à tortura e injúria. O parlamentar do PSC homenageou o coronel Carlos Brilhante Ustra durante a votação do impeachment de Dilma no último dia 17. Ustra foi chefe do Doi-Codi de São Paulo, um dos mais sangrentos centros de tortura do regime militar. A representação, assinada pelo Psol, PDT, PCdoB, Rede, PT e pelo Instituto Vladimir Herzog, solicita ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que apure as responsabilidades do deputado em relação à sua fala, na qual ficou evidente o crime de apologia à tortura e ao torturador, na homenagem feita ao ex-coronel Brilhante Ustra.


Político: função, ingratidão!
Nos dias atuais é cada vez mais desacreditada a autoridade dos políticos no exercício de suas funções. São poucos os que desfrutam do amor, amizade e respeito de seus eleitores. Tudo isto porque reina na maioria desta relação, a ingratidão por parte dos políticos. Um caso prático desta situação, é o que ocorre atualmente com a Presidenta Dilma e o ex-Presidente Lula, que até pouco tempo eram cortejados, abraçados, paparicados por quase todos os políticos acostumados às sombras do poder. Todos ou quase todos se aproveitaram da boa imagem de estadista de ambos. Estarem em fotografia ladeados por Lula e Dilma era a garantia de voto, em seus discursos não podiam faltar uma dose de socialismo. E o que vemos hoje? A maioria destes políticos aproveitadores, depois de usurparem do poder lhes concedido, nas dificuldades, traem aos que antes bajulavam. É por estas e outras que os políticos de hoje não passam respeito nem credibilidade.

O pedido de Socorro da zona rural de São Luís
Se as ruas dos bairros de São Luís, na zona urbana, estão em condições desfavoráveis para o tráfego de pedestres e automóveis, o que dizer das ruas dos muitos bairros da zona rural? Este é um assunto que precisa ser encarado com seriedade e rapidez, pois estão intransitáveis as poucas ruas asfaltadas ao longo dos muitos bairros rurais, tais como, Quebra Pote, Itapera, Vila Colier, Ananandiba, Rio Grande, Pedrinhas e suas Vilas, Maruaí, Maracujá, entre outros. Muitas destas localidades as ruas nunca receberam camada asfáltica e não há sinal de que o poder público tenha feito algo por estas comunidades. Basta ver o caso de Ananandiba, comunidade que fica ali na altura do Km 12, próxima do retorno que vai para a área da Vila Maranhão.

Enquanto isso...
Corre a passos lentos as discussões e negociações entre governo e a classe de professores tanto da rede estadual quanto municipal. O governo do estado até agora não se manifestou sequer quanto ao índice de reajuste que a classe reivindica. O Simproessema, sindicato da categoria dos professores estaduais, por conivência, mantém-se mudo e calado. Já a Prefeitura Municipal arguiu um reajuste da ordem de 9%, ainda mais, pago de duas vezes. Nos dois casos, esperamos sensibilidades dos gestores, uma vez que se queira verdadeiramente priorizar a educação, além de um simples discurso.

Em tempo: No último 21 de abril, estiveram trocando de idade dois grandes amigos nossos (meu e de Jersan, titular da Coluna). Tratam-se de César Rios e Kleber do Filé. O primeiro recepcionou a seus amigos em sua residência no Recanto Vinhais, ao lado de seus familiares. Não faltou churrasco e uma boa cerveja gelada. Já o segundo, pagará as suas a posteriori, se Deus quiser... Aos dois os nossos parabéns e votos de muita saúde!


Nenhum comentário

Por favor, peço que não usem palavras chulas ou que denigram pessoas em seu(s) comentário(s). Agradeço sua compreensão.