A guerra dos presidenciáveis


Por João Batista Azevedo (Interino)

A menos de sete meses das eleições, são muitas as incógnitas em torno da disputa eleitoral. Para começar, quantos e quais serão os candidatos. Condenado à prisão e líder nas pesquisas, o ex-presidente Lula conseguirá concorrer? O deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) terá fôlego para se manter até agora na posição que está? Qual a força dos demais pré-candidatos?
Apenas o tempo será capaz de responder essas questões, mas é possível apontar a situação dos atuais postulantes ao Palácio do Planalto nas pesquisas, seus índices de aprovação e rejeição, os recursos reservados para cada um deles, bem como o tempo que, inicialmente, será reservado no horário eleitoral.
Um site especializado em análises dos fatos políticos apresentou um balanço com os principais pontos fortes e fracos de 12 presidenciáveis. Os dados são apenas um retrato. O desfecho ainda é imprevisível. Com a proibição do financiamento empresarial – e do tempo de rádio e TV, coligações partidárias tendem a ser ainda mais decisivas neste ano. Com as alianças, os candidatos poderão aumentar vertiginosamente o tempo no horário eleitoral e o dinheiro em caixa para a disputa eleitoral.

Por outro lado a FGV em debate acontecido no 1º Fórum de Educação Executiva, apontou que a “imprevisibilidade será a principal marca das eleições presidenciais em 2018”. Não resta dúvidas de que o ex-presidente Lula será um grande protagonista destas eleições. Se participar no mínimo estará no segundo turno, isso se não matar a fatura logo no primeiro, se ficar de fora, terá que transferir votos, e bem aqui, o bicho pega, pois nunca foi fácil transferir votos, ainda mais se estiver impedido de fazer campanha. Mas tudo pode acontecer!

Pelo sim, pelo não, uma coisa é certa. Todos os candidatos enfrentarão forte rejeição e o pouco entusiasmo do eleitor. É esperar pra ver!


“A gente se fortalece na luta”

Causou grande repercussão o assassinato da vereadora Mariele Franco (PSOL/RJ). Isso demonstra o quão inusitada é a violência no Rio de Janeiro e nas grandes cidade, e mais, o quanto são ousados e organizados os criminosos. Apesar do sentimento de pesar que tocou milhões de brasileiros, ainda foi possível ouvir posicionamentos contrários: um absurdo.  É inegável que Mariele e o seu motorista são vítimas desse banditismo que está presente e entranhado nas grandes cidades, seja nos morros, nas periferias ou até mesmo nas instituições. Por outro lado, não devemos esquecer que todos os dias, tombam vítimas dessa mesma violência, seja no Rio, ou em qualquer parte deste país, tantas outras “Marieles”, “Andersons”, “Josés”, “Marias”, etc. O diferencial que vejo é que o crime mirou agora nos poderes. O alvo agora, ao mesmo este, atingiu de peito aberto o poder legislativo da cidade do Rio de Janeiro. É preciso fazer algo urgentemente!!

A novela “Democratas”
Parece estranho que hoje os alcaides do PCdoB estejam hoje de namoro com o partido Democratas, algo inimaginável em outros tempos, mesmo sabendo que hoje os tempos são outros. O Democratas, ex-PFL, que é ex-PDS, que ex-Arena sempre representou aos olhos da esquerda o que de pior, retrógado tinha na política brasileira. Ouvi muito isso. E até concordava em parte, pois era por lá que se penduravam aqueles que sempre queriam estar no poder ou à sombra deste. Doravante este passado de poucas recomendações, eis que agora, com nova nomenclatura, ainda que suas bases estatutárias continuem as mesmas, os que tinham verdadeira abominação pela sigla que “sustentou” os governos militares, vivem agora de namorico com o Democratas. Quem estava errado? Os esquerdistas de ontem? Os de hoje? Ou o Democratas nunca foi de direita? Com a resposta os protagonistas desta novela!

As academias na Baixada
Dentre muitas outras políticas de defesa e enlevo da Baixada Maranhense, o FDBM (Fórum em Defesa da Baixada Maranhense) tem como missão incentivar a criação das Academias de Letras, Ciências, Artes, Saberes e Fazeres populares nos municípios da região. Estão em encaminhamento a criação das academias de Peri-Mirim e São João Batista, ambas com as primeiras reuniões já ocorridas. A ideia foi bastante receptiva pelos “Perimirienses” e “Joaninos” que produzem conhecimento e arte. Avante Baixada!

Águas de Março
Caiu com vontade nesta última semana as águas de março. E mesmo sendo uma ilha, onde o mar não esteja muito distante (logo ali), e a presença de alguns rios que nascem aqui e deságuam no mar, a nossa capital viveu momentos cruciais que expuseram as mazelas de uma cidade mal cuidada e as deficiências de obras públicas que não responderam ao propósito de suas feituras. A coisa ficou mais feia onde sequer estar obras, ainda que mal feitas nunca existiram, caso da irônica Rua da Felicidade, no bairro do João Paulo, também chamada de Rua da Vala. Ali os moradores, até acostumados ao descaso do poder público e das autoridades viveram momentos de incerteza e sufoco. As imagens produzidas em tempos imediatos de rede social causaram espanto e dó. Esperamos que essas imagens inquietem os nossos administradores (Estado e Município) e que um dia, estes permitem que aqueles moradores dali possam se orgulhar de morar numa rua que valha o nome que lhe deram...

Merecidas férias...
O titular desta Coluna, o conterrâneo Jersan Araújo, vive dias de merecido descanso em sua fazendinha na aprazível Olinda dos Aranha, distrito de São João Batista. Lá, acordando com os passarinhos, tomando leite mugido e comendo peixes nativos pescado da hora, o ilustre jornalista reabastece suas energias para logo assumir a titularidade do seu labor. Enquanto isso vamos nós, nesta difícil missão de substituí-lo! Bom domingo a todos!

Nenhum comentário

Por favor, peço que não usem palavras chulas ou que denigram pessoas em seu(s) comentário(s). Agradeço sua compreensão.