HPOCRISIA DOS PRESIDENCIÁVEIS

Os presidenciáveis Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) continuam trocando agressões e até insultos nos programas eleitorais do Rádio e da televisão, que ficarão no ar até a próxima sesta-feira (26). Os candidatos se consideram vítimas, mesmo sendo eles próprios protagonistas das lamentáveis atitudes, isto é, eles atiram as pedras e escondem as mãos, hipocritamente, achando que os eleitores brasileiros são idiotas, que não sabem distinguir verdade e hipocrisia. As agressões são mútuas e agressores e vítimas são eles mesmos que lutam desesperadamente pelo poder pregando a união da Nação brasileira: outra falsidade deslavada, pois pelo tom dado à campanha, depois do resultado vencedor e vencido ficarão mais distante um do outro, do que a que separa o céu e a terra.
As propostas apresentadas por Bolsonaro e Haddad são mirabolantes e difíceis de serem cumpridas em curto prazo e mal interpretas por ambos. O representante do PSL garante que vai melhor à remuneração oferecida pelo programa Bolsa Família, e, por cima, pagar o 13° salário aos beneficiários. Justifica que o dinheiro virá com o fim da corrupção e com o corte dos que recebem ilegalmente. Já o petista afirma que o seu adversário vai acabar com o programa. Essas afirmações precipitadas colocam essa camada em dúvida: “seremos beneficiados com o reajuste mensal e mais o 13ª salário ou vítima do corte na folha de pagamento”? Indagam os bolsistas.
Dado esse exemplo de “confusão” da qual a grande vítima é o povo, observa-se que Haddad impõe o que Bolsonaro “vai fazer” e o que ele não fará. Por outro lado, dando como recorrente o modo de agir do PT, Bolsonaro diz que o petista, se eleito, permitirá a continuação e avanço da corrupção no governo. 

VELHA POLÍTICA I
No Maranhão a “velha política” continua sendo plenamente praticada. Em São João Batista – exemplo – tem um prefeito, o engenheiro João Dominici que com todo o seu grupo político apoiou o governador Flávio Dino (PCdoB) à reeleição. Aliás, todos os grupos políticos, mesmo antagônicos em termos de divergências locais o apoiaram. E o governador, em plena campanha política liberou, atendendo pedido político de um candidato a deputado estadual a liberação de máquinas para execução de serviços de recuperação de estrada vicinal e de barragens, serviços esses feitos sem a participação da Prefeitura que, também, tem pleitos nesse sentido dirigidos ao governo estadual. Para não restar dúvidas sobre a minha posição, como ex-vereador e eleitor do município, nós apoiamos Flávio Dino, mas, como repórter discorda dessa prática, igualmente condenada por ele.

VELHA POLÍTICA II
Está praticamente confirmada a vitória do deputado Othelino Neto para a Presidência da Assembleia Legislativa, mais uma vez. A eleição só acontecerá no dia 1° de fevereiro, logo após a posse dos 42 deputados estaduais eleitos e reeleitos na eleição de 07 de outubro. A grande maioria (mais de 30 parlamentares) já confirmou apoio a Othelino que integra o mesmo partido do governador Flávio Dino, o PCdoB que poderá ser reeleito para o mais importante cargo do Poder Legislativo estadual por aclamação. Os demais cargos da Mesa Diretora estão sendo negociados com os demais partidos.

ESPERADO POR DINO
O candidato a presidente da República, Fernando Haddad esta sendo esperado hoje, em São Luís. O governador Flavio receberá o petista no Aeroporto Cunha Machado acompanhado por todos os amigos e correligionários e de lá seguirão para o bairro do Anil onde será realizada uma caminhada seguida de manifestações públicas de apoio ao representante da esquerda na disputa pela Presidência do Brasil.
Em entrevista à imprensa local, o governador aproveitou para convidar auxiliares do governo, lideranças políticas e a população em geral a participarem do ato que objetiva aumentar o desempenho eleitoral do petista em todo o estado. O maranhão foi um dos poucos estados brasileiros que, no 1° turno deu maioria de votos a Haddad.

PERMANÊNCIA
Considerando a máxima de que “em time que está ganhando não se mexe”, o governador Flávio Dino deverá defender a permanência nos seus cargos da maioria dos atuais secretários. Comenta-se nos bastidores que dois deputados estaduais poderão ser convocados pelo chefe do Poder Executivo para possibilitar que o suplente Edvaldo Holanda, pai do prefeito de São Luís assuma uma cadeira na Assembléia Legislativa. Comenta-se, também, que o deputado Márcio Jerry voltaria ao cargo de super secretário de Governo e Comunicação. São especulações que tem sentido, em virtude dos comentários do próprio Flávio Dino com relação ao “time” e a sua grande vitória nas eleições de outubro passado.

JOÃO PENHA DOMINICI
Faleceu em São Luís na madrugada do último domingo o Sr, João Penha Dominici que durante décadas exerceu a chefia do Cartório Civil de São João Batista e o cargo de vice-prefeito durante a gestão de Luís Figueiredo. Cidadão de bem, conhecido pelo trato amigo e educado com os seus conterrâneos, “Seu João” deixa uma dezena de filhos igualmente de boa índole como o colega Tércio Dominici, o comerciante Agenor (Agenorzinho), Wagner (de saudosa memória), Walmir, Maria José, Uíra, Vaguí, “Gato”, Fran e Conceição.
O prefeito João Dominici lamentou a grande perda e decretou três dias de luto oficial no município e a Câmara Municipal, através do seu presidente, Assis Araújo enviou Nota de Pesar à família enlutada. “Seu João”, sem dúvida, deixa uma lacuna muito grande na sociedade joanina. O sepultamento ocorreu no cemitério do povoado Pedras onde há alguns anos foi sepultado ali o corpo da ex-esposa dele Dona Dedé que, também, deixou muita saudade. 

Nenhum comentário

Por favor, peço que não usem palavras chulas ou que denigram pessoas em seu(s) comentário(s). Agradeço sua compreensão.