São Luís e as eleições de 2016

João Castelo*

O maior patrimônio de São Luís é a sua história. Rica em detalhes e peculiar na essência, a história da capital maranhense, construída ao longo de mais de quatro séculos, é pontuada por lutas e transformações sociais, políticas e econômicas. A história de São Luís tem sido costurada também por lendas que o povo aprendeu a cultuá-las e preservá-las através do tempo. 

Na São Luís dos últimos três anos, porém, há mais lenda que história. Não a lenda tradicional, que surge do imaginário criativo do povo, mas a história malversada, duvidosa, deliberadamente perfumada para enganar incautos. Vende-se na propaganda da TV uma cidade inventada, com hospitais em estado de perfeição, escolas primorosas, ruas e avenidas exemplares e transporte público de primeiro mundo. Vende-se a peso de ouro, nos horários mais concorridos da TV Mirante, uma outra cidade, irreal, uma lenda fajuta. A São Luís que a população vivencia - dos bairros esquecidos, das ruas esburacadas, dos hospitais sucateados, das escolas abandonadas, das aulas interrompidas pela greve, do transporte público em colapso – não rende votos, não aparece na propaganda do atual prefeito. 

São Luís nunca foi tão maltratada como agora. Por onde ando, nas feiras, nos bairros, nas igrejas, as pessoas abordam-me para expressar preocupação e assombro com a situação em que se encontra a nossa cidade. E pedem-me informação, clamam por socorro, cobram-me enfrentamento ou pelo menos uma tomada de posição. 

Pois aqui estou. E não é de hoje que, estarrecido, vejo destruírem a cidade em nome de uma mirabolante promessa de mudança. De fato, São Luís mudou muito. Infelizmente, pra pior! Em 2014 fui eleito para cumprir um mandato de quatro anos como deputado federal. E até aqui tenho honrado o compromisso que assumi com o povo do Maranhão. Como deputado federal, tenho alertado a classe política e a opinião pública sobre o estado de abandono da nossa cidade. Apresentei projetos importantes na Câmara dos Deputados de interesse do Maranhão e de São Luís, e por isso mesmo devo acompanhá-los até que sejam efetivamente transformados em benefício direto do nosso povo.

Fui governador do Maranhão, senador e deputado federal por vários mandatos, e mais recentemente prefeito de São Luís. Carrego comigo a experiência de mais de 40 anos de vida pública, e não a vaidade ou projetos pessoais e aventureiros. Apesar de estar muito bem situado nas pesquisas para prefeito de São Luís, e de contar com o apoio da executiva nacional do meu partido, o PSDB, avalio que agora, com a nova configuração política que se desenha na conjuntura nacional, posso contribuir muito mais por São Luís no Congresso Nacional. 

Como resolvi não concorrer às eleições de prefeito de São Luís este ano, apesar da convocação do eleitorado e de lideranças políticas e comunitárias, decidi apoiar um projeto político capaz de realmente reconstruir a nossa cidade. Fiz um balanço dos projetos iniciados em minha gestão, muitos deles desprezados pelo atual prefeito, como o grande corredor de transporte urbano, e comparei-os com as políticas públicas defendidas até aqui pelos eventuais pré-candidatos a prefeito do campo da oposição.

Depois de uma análise criteriosa, concluí que o conteúdo programático que mais se aproxima do trabalho que realizamos em São Luís é o da pré-candidata Eliziane Gama. Assim, estou anunciando agora o meu apoio à pré-candidatura de Eliziane a prefeita de São Luís. De origem humilde, ela tem uma história pessoal de superação, além de rica experiência nos movimentos sociais e de luta e retidão na vida pública. 

Estarei ao lado de Eliziane durante toda a campanha e peço aos meus amigos e correligionários que também assumam esse compromisso. Juntos, vamos contribuir, incondicionalmente, para o êxito de sua gestão. Pelo que já conversamos, tenho a certeza de que Eliziane fará uma grande administração e saberá de fato honrar o mandato e reconstruir a cidade - não a São Luís da perfumaria, das maquetes, mas uma São Luís real, onde todos nós queremos continuar vivendo. 

*Deputado federal (PSDB).
(Publicado na edição de domingo (03/07/16) do Jornal Pequeno)

Nenhum comentário

Por favor, peço que não usem palavras chulas ou que denigram pessoas em seu(s) comentário(s). Agradeço sua compreensão.